Donald Trump diz que há "opção militar" para a Venezuela

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Donald Trump e sua esposa Melania Trump

3 de fevereiro de 2019

Estados Unidos —

Donald Trump diz que há "opção militar" para a Venezuela

O ministério dos negócios estrangeiros russo disse hoje que a comunidade internacional deve-se centrar em ajudar a resolver os problemas sociais e económicos da Venezuela e não envolver-se em "interferência destrutiva" nesse pais.

O director do departamento para a América Latina do ministério dos negócios estrangeiros russos Alexander Schcetinin foi citado pela agência de notícias russa Interfax como tendo dito que essa "interferência destrutiva" está a ser levada a cabo fora das fronteiras da Venezuela.

O comentário foi feito depois do Presidente dos Estados Unidos Donald Trump ter afirmado numa entrevista á cadeia de televisão CBS que uma intervenção militar na Venezuela “é uma opção”.

Os Estados Unidos reconheceram o líder da oposição Juan Guaido como presidente da Venezuela e impuseram sanções económicas ao país.

Por outro e em questões d e política interna o presidente Donald Trump recusou-se a pôr de parte a possibilidade de mais um encerramento parcial do governo na sua disputa sobre o financiamento de um muro ao longo da fronteira com o México.

Na sua entrevista o presidente indicou no entanto que poderá declarar uma emergência nacional na zona da fronteira para obter os fundos para o muro.

Trump criticou asperamente a presidente da camara dos representantes a democrata Nancy Pelosi por se opor ao financiamento do muro acusando-a de seguir uma política de fronteira aberta e de não se importar com o tráfico de seres humanos.

Um grupo bipartidário de congressistas está neste momento a negociar um plano de segurança para a fronteira que será submetido ao presidente que quer 5 mil e 700 milhões de dólares para a construção do muro.

Na sua entrevista o presidente Trump reafirmou o seu desejo de retirar tropas americanas de “conflictos sem fim” na Síria e Afeganistão”.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati