Donald Trump diz que há "opção militar" para a Venezuela

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Donald Trump e sua esposa Melania Trump

3 de fevereiro de 2019

Estados Unidos —

Donald Trump diz que há "opção militar" para a Venezuela

O ministério dos negócios estrangeiros russo disse hoje que a comunidade internacional deve-se centrar em ajudar a resolver os problemas sociais e económicos da Venezuela e não envolver-se em "interferência destrutiva" nesse pais.

O director do departamento para a América Latina do ministério dos negócios estrangeiros russos Alexander Schcetinin foi citado pela agência de notícias russa Interfax como tendo dito que essa "interferência destrutiva" está a ser levada a cabo fora das fronteiras da Venezuela.

O comentário foi feito depois do Presidente dos Estados Unidos Donald Trump ter afirmado numa entrevista á cadeia de televisão CBS que uma intervenção militar na Venezuela “é uma opção”.

Os Estados Unidos reconheceram o líder da oposição Juan Guaido como presidente da Venezuela e impuseram sanções económicas ao país.

Por outro e em questões d e política interna o presidente Donald Trump recusou-se a pôr de parte a possibilidade de mais um encerramento parcial do governo na sua disputa sobre o financiamento de um muro ao longo da fronteira com o México.

Na sua entrevista o presidente indicou no entanto que poderá declarar uma emergência nacional na zona da fronteira para obter os fundos para o muro.

Trump criticou asperamente a presidente da camara dos representantes a democrata Nancy Pelosi por se opor ao financiamento do muro acusando-a de seguir uma política de fronteira aberta e de não se importar com o tráfico de seres humanos.

Um grupo bipartidário de congressistas está neste momento a negociar um plano de segurança para a fronteira que será submetido ao presidente que quer 5 mil e 700 milhões de dólares para a construção do muro.

Na sua entrevista o presidente Trump reafirmou o seu desejo de retirar tropas americanas de “conflictos sem fim” na Síria e Afeganistão”.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati