Dezesseis mortos no Paquistão após atentados suicidas

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

27 de setembro de 2009

Dois poderosos ataques suicidas atingiram diferentes áreas do noroeste do Paquistão, no sábado, aparentemente alvo as forças de segurança do país. No primeiro ataque, um suicida matou pelo menos seis pessoas e feriu mais de 60 outras pessoas fora de uma delegacia de polícia em Bannu.

Noroeste do Paquistão. Ficheiro: Morwen

Pouco tempo depois, no distrito comercial de Peshawar, outra explosão fora de um banco afiliado com o exército paquistanês, matou dez pessoas e feriu mais de 70 outros.

Autoridades em Bannu disseram que o militante suicida explodiu um pequeno caminhão cheio de explosivos, destruindo a delegacia de polícia e prédios ao redor.

A mídia local cita um representante do Talibã do Paquistão, que assumiu a responsabilidade pelo atentado.


Dez pessoas foram mortas e 71 feridos, cinco deles gravemente.
Sahibzada Anis, administrador-chefe do governo de Peshawar


Em um telefonema, o porta-voz talibã Qari Hussain Mehsud avisou aos civis para manterem-se afastados de controles de segurança e instalações de outros policiais, dizendo que "temos quebrado o silêncio, enquanto o governo não compreendeu a pausa nos ataques e a partir de agora haverá um aumento no número de atentados suicidas".

Esta é a primeira vez que a aliança de mais de uma dúzia de grupos de militantes com ligações à Al-Qaeda assumiu a responsabilidade, desde que o ex-líder Baitullah Mehsud teria sido morto em um ataque com mísseis dos Estados Unidos. Os analistas tinham sugerido que o grupo estava em desordem após a morte de Mehsud.

"Dez pessoas foram mortas e 71 feridos, cinco deles gravemente", disse o administrador-chefe do governo de Peshawar, Sahibzada Anis, a agência de notícias Reuters.


Não é apenas o nosso dever [...] para combater esta ameaça do terrorismo, é uma responsabilidade de todo o mundo.
Mian Iftikhar Hussain, ministro da Informação, da Província da Fronteira Noroeste


"Foi terrível. Meus filhos estão muito assustados. Todas as janelas da minha casa estão quebradas. Foi muito assustador", disse Beenish Asad, uma testemunha do caso, que mora perto de onde ocorreu a explosão.

Ninguém reivindicou a responsabilidade para o ataque em particular. O chefe da polícia Ghafoor Afridi disse à Voz da América que o suicida tinha conseguido ultrapassar várias barreiras de segurança.

Mian Iftikhar Hussain, ministro da Informação, da Província da Fronteira Noroeste disse também que "não estamos com medo dessas pessoas e nós temos que estender nossas operações, sempre que estes terroristas estão operando", acrescentando que suspeita de quarenta supostos terroristas suicidas haviam sido detidos nos últimos meses.

A Embaixada dos Estados Unidos no Paquistão divulgou um comunicado em que condena os atentados. "[Os ataques] destacam a natureza cruel e desumano do inimigo cujo verdadeiro alvo é o governo democraticamente eleito do Paquistão e da segurança de todos os paquistaneses", disse a embaixada.

Os ataques de sábado vem como as obras militares paquistaneses para expandir sua ofensiva contra os talibãs e em torno de Swat Valley, ao norte a sul do Waziristão.

Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati