Covid-19: Inglaterra adota Plano B após a rápida disseminação da variante Ômicron

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

8 de dezembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O primeiro-ministro Boris Johnson anunciou hoje que a Inglaterra passará para o Plano B após a rápida disseminação da variante Ômicron do Sars-Cov-2 no Reino Unido. Os dados mais recentes sugerem que a variante tem uma taxa de crescimento muito alta, com os casos de covid-19 dobrando a cada 2,5 a 3 dias. "Como visto em ondas anteriores, um aumento rápido nos casos pode levar a um aumento rápido nas hospitalizações, o que levará rapidamente a pressão sobre o SNS. Os dados da África do Sul mostram um rápido aumento nas hospitalizações", diz o comunicado.

Com o Plano B, as máscaras voltam a ser obrigatórias na maioria dos locais públicos fechados, o passaporte Covid (NHS Covid Pass; certificado de vacinação ou um teste PCR negativo) será exigido em ambientes específicos e as pessoas estão sendo aconselhadas a trabalhar em casa sempre que possível.

Dados preocupantes

Um trabalho urgente está em andamento na Inglaterra para entender o impacto da Ômicron no que diz respeito à eficácia das vacinas, tratamentos e transmissibilidade. As primeiras indicações mostraram um grande número de mutações preocupantes da proteína spike, bem como mutações em outras partes do genoma do vírus.

Embora seja provável que haja alguma redução no nível de eficácia das vacinas contra a covid-19, autoridades britânicas estimam que é muito cedo para determinar a extensão disso.

Ampliação da vacinação

No dia que o NHS chamou de jabiversary', quando se completa o 1º ano em que uma vacina contra covid-19 foi aplicada pela primeira vez no mundo - justamente na Inglaterra - o governo anunciou que uma "grande expansão" do programa de imunização com a dose reforço, agora disponível para todos os britânicos a partir dos 40 anos de idade.

O intervalo entre as doses também foi reduzido de seis para três meses, com os elegíveis agora podendo fazer a reserva de sua dose com um mês de antecedência - dois meses após a segunda dose.

O NHS também lançou hoje uma campanha para recrutar 10 mil profissionais para trabalharem no apoios à expansão do programa, entre vacinadores, equipe administrativa e profissionais de assistência à saúde.

Notícias Relacionadas

Fontes