Covid-19: EU já vacinaram 100 milhões; Europa enfrenta novas restrições

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de abril de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O governo Biden, que estabeleceu uma meta de vacinas 100 milhões de pessoas nos primeiros 100 dias de Joe Biden no cargo, atingiu outro marco na sexta-feira passada: os Estados Unidos (EU) tornaram-se a primeira nação a vacinar 100 milhões de pessoas.

Os casos de covid-19, a doença causada pelo Sars-Cov-2, no entanto, continuam a aumentar em algumas regiões dos Estados Unidos.

Joe Biden pediu aos americanos para que não contribuam para o retrocesso do "progresso que todos nós lutamos tanto para alcançar", dizendo ainda que "precisamos que todos os americanos se esforcem e mantenham a guarda nesta reta final."

No início desta semana, Biden também disse que com o aumento da pressão para a vacinação "pelo menos 90% de todos os adultos neste país serão elegíveis para serem vacinados até 19 de abril, daqui a apenas três semanas, porque temos as vacinas. Para a grande maioria dos adultos, você não terá que esperar até 1º de maio."

Novas restrições na Europa

A Itália decretou lockdown de "zona vermelha" válido para o feriado de Páscoa a fim de evitar um aumento de casos de covid. No país, que tem mais de 3,65 milhões de casos acumulados, a determinação de "zona vermelha" é o nível mais alto de restrições, o que obriga o fechamento de todas as atividades não-essenciais, bem como restringe a circulação das pessoas nas ruas.

Já na França, restrições mais duras passaram a valer a partir de ontem, incluindo a proibição de viagens que não sejam de curta distância e o fechamento de atividades não-essenciais, incluindo o fechamento de creches e escolas.

A situação também é preocupante na Alemanha, que entre a Sexta-Feira Santa e o sábado de Páscoa registrou novas 31 mil infecções e onde o governo de Angela Merkel, após críticas recentes, voltou atrás num lockdown de Páscoa. Autoridades de Saúde, entre elas Lothar Wieler, presidente do Instituto de doenças infecciosas Robert Koch, alertam uma 3ª onda de covid pode chegar com 100 mil novas contaminações a cada dia no país nos próximos meses.

Sete países europeus estão no Top 10 dos com mais casos acumulados de covid-19, segundo dados do Worldometer: França (4.741.759), Rússia (4.580.894], Reino Unido (4.357.091), Itália (3.650.247), Turquia (3.445.052), Espanha (3.300.965) e Alemanha (2.886.020).

Três ontem também estavam entre os 10 que mais registraram novos casos: Turquia (44.756), Polônia (28.084), Itália (21.261), Ucrânia (20.341) e Alemanha (13.641).

Além, disto, vários países europeus sofrem com problemas em seus programa de vacinação. Diversos cidadãos da União Europeia, entre eles os alemães, por exemplo, têm rejeitado a aplicação da vacina de Oxford-AstraZeneca, após algumas pessoas apresentarem coágulos sanguíneos como possível reação adversa ao imunizante.

Notícias Relacionadas[editar]

Fontes[editar]

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit