Covid-19: Biden e Macron anunciam apoio à quebra de patentes das vacinas; OMS elogia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

6 de maio de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Ontem o governo Joe Biden anunciou ser a favor da quebra temporária das patentes das vacinas contra covid-19. A decisão dos Estados Unidos (EU) foi divulgada num comunicado no Twitter pela Embaixadora Katherine Tai, Representante de Comércio dos Estados Unidos: " Os EUA apoiam a dispensa de proteções de PI [popriedade intelectual] nas vacinas COVID-19 para ajudar a acabar com a pandemia e participaremos ativamente das negociação na WTO [Organização Mundial do Comércio] para que isso aconteça".

Também há discussões na União Europeia sobre a iniciativa e hoje Ursula Von Der Leyen, presidente de Comissão Europeia, disse que "a União Europeia está aberta à discussão de quaisquer propostas que respondam à crise de forma eficiente e pragmática. É por isso que estamos prontos para discutir com os EU o levantamento das proteções para as vacinas anti covid-19 e como isso poderá ajudar a alcançar esse objetivo".

O presidente da França, Emmanuel Macron, também se manifestou a favor, enquanto a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse ser contra.

Nathalie Moll, diretora da Federação Europeia de Associações e Indústrias Farmacêuticas, também se mostrou contra a ideia. "Isso pode acabar sendo perigoso e contraproducente. Podemos primeiro ver uma queda na produção e, no longo prazo, a falta de investimentos em soluções contra apandemias", disse.

OMS elogia iniciativa

"Este é um momento monumental na luta contra a COVID-19. O compromisso do Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e da Embaixadora Katherine Tai, a Representante de Comércio dos Estados Unidos, de apoiar a dispensa de proteções de PI sobre vacinas é um exemplo poderoso da liderança americana para enfrentar os desafios globais de saúde. Elogio os Estados Unidos por sua decisão histórica pela equidade da vacina e por priorizar o bem-estar de todas as pessoas em todos os lugares em um momento crítico. Agora, vamos todos agir juntos rapidamente, em solidariedade, aproveitando a engenhosidade e o compromisso dos cientistas que produziram as vacinas COVID-19 que salvam vidas", expressou ainda ontem Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da OMS.

Notícia Relacionada

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit