Covid-19: Anvisa confirma que vacina de Oxford também usa insumos da China; Bolsonaro havia dito que não compraria "vacina chinesa"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram
Vacinas em teste no Brasil

A Anvisa reportou ontem num release que a empresa chinesa Wuxi Biologics Co. é a produtora dos insumos utilizados pela Fiocruz Bio-Manguinhos na produção da vacina da AstraZeneca - chamada no Brasil simplesmente de "vacina de Oxford" [o imunizante está sendo desenvolvido numa parceria entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca, com apoio, no Brasil, da Fiocruz].   

A informação já havia sido dada pelo diretor da Fundação meses atrás, pouco depois de Bolsonaro - num embate político com João Dória, governador de São Paulo - dizer que não compraria a "vacina da China", numa referência à outra vacina, a CoronaVac.

A vacina de Oxford será a que mais, segundo o Ministério da Saúde esta semana, deverá ser usada para imunizar os grupos prioritários no Brasil. Segundo Pazuello, 15 milhões de doses do imunizante devem ser usados no país já nos primeiros dois ou três meses de 2021.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit