Covid-19: Brasil deve receber vacina de Oxford-Astrazeneca só em janeiro; prazo anterior era dezembro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de dezembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Brasil deve receber 15 milhões de doses de vacina contra Covid-19 [a de Oxford-AstraZeneca] entre janeiro e fevereiro de 2021. A informação foi dada pelo ministro da Saúde Eduardo Pazuello durante uma reunião remota no Congresso na quarta-feira passada (02/12). Inicialmente, a previsão havia sido de que a vacinação começaria ainda em dezembro.

Segundo Pazuello também, a expectativa é de até junho o país tenha de recebido 100 milhões de doses de vacinas anti-Covid [de diversos laboratórios], chegando este número a 160 milhões até dezembro de 2021.

Os fabricantes das vacinas

Segundo o ministro, 100 milhões de doses da vacina deverão ser fornecidas pela Oxford-AstraZeneca [que trabalham em parceria com a Fiocruz], enquanto que outras 42 milhões de doses devem ser adquiridas através do consórcio Covax Facility, que reúne várias marcas, entre elas a chinesa Coronavac [não há explicação oficial do porquê este número não fechar as 160 milhões de doses, mas é possível que se tratem, na verdade, de números estimados].

Já o Governo de São Paulo comprou diretamente do laboratório chinês Sinovac, que trabalha em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, 46 milhões de doses da Coronavac, das quais cerca de 1.120.000 já foram entregues ao estado.

Grupos de risco terão prioridade na vacinação

O plano preliminar de vacinação contra a Covid-19 do Governo Federal foi apresentado no dia 1º passado e contemplará, primeiro, os chamados "grupos prioritários". Na 1º fase serão vacinados os trabalhadores da saúde, população idosa a partir dos 75 anos de idade, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e população indígena; na 2ª fase serão vacinadas as pessoas de 60 a 74 anos; na 3ª fase serão imunizadas pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras); e na 4ª fase serão vacinados professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade.

Cronograma inicial da vacinação no Brasil

O cronograma estimado da vacinação
Data de recebimento Quantidade de vacinas
Até fevereiro de 2021 15 milhões
Até junho de 2021 85 milhões
Até dezembro de 2021 60 milhões
Total 160 milhões


Notícias Relacionadas

Fontes


Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit