Corpos jogados em rio no Iraque são de seqüestrados, diz presidente iraquiano

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Attention niels epting.svg
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.

21 de abril de 2005

O presidente do Iraque, Jalal Talabani, em uma conferência de imprensa a repórteres na quarta-feira disse:

Mais de 50 corpos foram resgatados do rio Tigre e temos os nomes completos daqueles que foram mortos e aqueles criminosos que cometeram esses crimes. (...) terroristas cometeram esses crimes. Não é verdadeiro que não houve nenhum refém. Houve, porém eles foram mortos e eles lançaram os corpos no Tigre.

Ele prometeu mais detalhes nos dias próximos dias.

A conferência presidencial para a imprensa foi em resposta a eventos que vieram à tona por causa de relatórios de funcionários xiitas. Eles disseram no sábado que não menos que 100 xiitas foram tomados refém por rebeldes sunitas, e ameaçados de morte, na cidade de al-Madain, perto de Bagdá. Uma força de segurança iraquiana segunda-feira vasculhou a cidade de aproximadamente mil famílias, mas não encontrou nenhuma evidência que comprovasse a existência de reféns. Os funcionários de xiita depois disseram que os corpos, que acreditava-se ser dos reféns, foram encontrados no rio Tigre.

Em um incidente separado a 200 km ao norte de Bagdá, em Haditha, depois que repórteres e residentes escutaram tiros, eles encontraram os corpos de 19 homens, executados em um estádio de futebol, nesta última quarta-feira. Acredita-se que os mortos foram soldados iraquianos executados por rebeldes anti-governo, segundo um funcionário de Ministério do Interior, embora as vítimas não estivessem vestidas com traje militar. Levantou-se a hipótese de que eles estavam a se dirigir para casa para uma festa que marca o aniversário do profeta Muhammad quando foram raptados pelos insurgentes.

Ver também

Fontes