Coreia do Sul: Shim Suk-hee acusa ex-treinador de agressão sexual

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Shim Suk-hee nos Jogos Olímpicos de 2014.

21 de janeiro de 2019

Em janeiro de 2018, a patinadora de velocidade em pista curta Shim Suk-hee, duas vezes campeã olímpica, deixou a equipa nacional da Coreia do Sul, acusando seu treinador, Cho Jae-Beom, por agredir o suficiente para causar lesão cerebral, estragando suas chances nos Jogos Olímpicos de 2018.

O treinador voltou imediatamente ao time sul-coreano e ficou poucas semanas para a equipa nacional chinesa antes de ser repatriado para o julgamento. No julgamento, Shim justifica deixando o desastre na equipe nacional: "Ele deu-me pontapés e socos tão forte, especialmente na cabeça, que eu mesmo disse que eu poderia realmente morrer". Cho admite bater seus patinadores, dizendo que os motiva. Em setembro de 2018, ele foi condenado a dez meses de prisão por abuso de seus cinco skatistas, incluindo Shim, de 2011 a 2018. O recurso está pendente.

Em janeiro de 2019, Shim Suk-hee acusou Cho Jae-beom de abusar sexualmente dela desde os dezessete anos. Uma associação é fundada para apoiá-lo; esta associação, Solidariedade Pelos Jogadores de Esquis, diz que duas outras vítimas planejam testemunhar contra Cho nas próximas semanas.

Cho nega as alegações de violência sexual. Uma petição assinada por mais de 260 mil coreanos pede uma prorrogação de sua sentença.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse em uma coletiva de imprensa que "expõe a parte inferior humilhante de nossa imagem gloriosa do império esportivo" .

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati