Chávez e Morales anunciam união "anti-neoliberal e anti-imperialista"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

4 de janeiro de 2006

O presidente eleito da Bolívia, Evo Morales, teve nesta terça-feira (3) um encontro com o Presidente da Venezuela Hugo Chávez. Morales e Chávez anunciaram sua união pela causa comum do anti-imperialismo: "Estamos aqui para fazer parte da luta anti-neoliberal e anti-imperialista", disse Morales.

Por sua vez, Chávez declarou: "Washington e seus aliados representam o eixo do mal; nós somos o eixo do bem. (...) Vamos trabalhar humildemente para que se torne realidade o que Evo chamou de resgate da dignidade da Bolívia".

Durante a curta visita de Evo Morales à Venezuela houve a realização de uma oferenda a Simón Bolívar e ao cacique Guaicaipuro, no Panteão Nacional. Mais tarde, no Palácio de Governo, os dois líderes discutiram e acertaram diversos acordos em matéria energética, educativa e de saúde. Segundo Chávez, a Venezuela venderá à Bolívia todo o combustível que ela precisar. "São mais de 150 mil barris mensais, o que equivale a US$150 milhões de dólares. Não aceito que me pagues um centavo a mais pela mudança, a não ser com o equivalente em produtos agrícolas", disse Chávez.

O Presidente venezuelano entregou a Morales uma réplica da espada de Bolívar, como "símbolo de compromisso, batalha e vitória". O líder boliviano agradeceu e disse: "é tempo de mudanças, não somente na Bolívia. Estamos convictos que os povos indígenas, os povos originários, os movimentos sociais, as vítimas do neoliberalismo têm seus candidatos. Acho que no Peru o colega Ollanta [Humala] faz parte desse movimento, dessa rebelião, dessa valentia do povo peruano".

Ver também

Fontes