Capitais dos EUA em alerta para protestos armados pró-Trump

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

17 de janeiro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O alerta é dado. Três dias após a posse do presidente eleito Joe Biden, a tensão nos Estados Unidos continua alta e as agências de aplicação da lei se prepararam para enfrentar possíveis manifestações violentas de partidários do presidente Donald Trump.

O argumento permanece o mesmo: eles buscam apoiar alegações infundadas de fraude eleitoral. Espera-se que os manifestantes cheguem a estádios nos Estados Unidos, informou a Reuters.

Mais de uma dúzia de estados ativaram as tropas da Guarda Nacional para ajudar a proteger seus edifícios, após um alerta do FBI sobre protestos armados de extremistas de direita encorajados pelo ataque ao Capitólio em 6 de janeiro.

A cidade de Washington está fortemente protegida. A implantação da segurança começou há vários dias. As ruas de Washington estavam vazias no domingo e muitas das ruas mais próximas ao Capitólio permanecem fechadas.

Milhares de agentes da Guarda Nacional e policiais federais e locais guardam o centro da cidade, fortificado em preparação para a posse presidencial.

Na avenida que leva ao Capitólio, é possível ver apenas alguns moradores passeando com seus cachorros, corredores e jornalistas nacionais e internacionais.

Manifestações dispersos foram vistos no sábado. Mas as autoridades de segurança argumentam que o domingo pode ser um dia de grande agitação, coincidindo com o dia escolhido semanas atrás pelo movimento extremista fortemente armado conhecido como "Boogaloo" para realizar manifestações em todos os 50 estados.

Muitos estados ergueram cercas e outras barreiras para proteger suas capitais. Outros, como o Texas e o Kentucky, deram um passo adiante, fechando o terreno do Capitólio ao público. Connecticut ativou sua Guarda Nacional em preparação para um eventual protesto de até 2.000 apoiadores, informou um porta-voz da polícia estadual.

“Possivelmente estamos nos preparando para que algo aconteça”, disse o policial Pedro Muniz, acrescentando que não houve ameaças específicas. "Não vamos tolerar nenhum ato de violência."

O FBI e outras agências federais alertaram sobre o potencial de violência futura, já que os supremacistas brancos e outros extremistas procuram explorar a frustração entre os apoiadores de Trump que insistem em supostas fraudes eleitorais.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com