Camarões luta contra a hesitação da vacina contra COVID-19

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

6 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

As autoridades em Camarões estão lutando contra a hesitação da vacina com apenas onze por cento das doses recebidas desde abril distribuídas, a maioria delas devido a necessidades de viagem. O governo e o clero de Camarões têm lutado para fazer com que o público aceite que as vacinas são seguras.

Um grupo de 70 muçulmanos camaroneses se reuniram no hospital governamental de Djoungolo em Yaoundé na sexta-feira para serem vacinados contra o COVID-19.

Coordenador do Conselho de Imames e Dignitários Muçulmanos dos Camarões, Moussa Oumarou diz que a hesitação da vacina significava que ele teve que convencer o grupo.

Ele diz que o governo de Camarões pediu ao clero para convencer seus seguidores de que as vacinas poderiam salvar suas vidas.

Oumarou diz que toda religião que coloca Deus em primeiro lugar busca proteger vidas humanas. Ele diz que é uma obrigação divina e cívica proteger vidas aceitando ser vacinado contra o coronavírus. Oumarou disse que o conselho pediu a todos os Imames e dignitários muçulmanos nos Camarões que aceitassem ser vacinados e encorajasse todos os seus fiéis a serem vacinados.

Autoridades de saúde de Camarões dizem que apenas 75.000 pessoas foram vacinadas desde abril, quando o governo recebeu 700.000 doses.

E a maioria das doses administradas, dizem as autoridades, foi para pessoas que planejavam viajar para fora de Camarões, incluindo expatriados.

Um professor universitário de 37 anos em Yaoundé Rigobert Fonbanla diz que muitos camaroneses não confiam nas autoridades que estão pedindo a injeção após um escândalo de fundos da COVID e apreensão de falsificações.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit