Brasil registra primeiro caso de suspeita de Ebola

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Agência Brasil

10 de outubro de 2014

Um cidadão da Guiné se encontra hospitalizado no Rio de Janeiro. Se trata de Ouleymane Bah de 47 anos de idade. Está sendo realizado nele os exames de sangue para determinar se ele tem o vírus do Ebola.

O homem se apresentou na quinta-feira em um posto de saúde de Cascavel, no Estado do Paraná, porque teve febre no dia anterior. Além disso, se supõe que empreendeu a viagem de Conakry, capital da Guiné vinte dias antes de chegar a Guarulhos em São Paulo no dia seguinte. Por isso, era dentro do período de incubação do vírus e correspondia ativar o protocolo alerta médica para esta doença. Além disso, o ministro da Saúde, César Chioro, declarou que o estado do paciente era normal, não mostrando sinais de febre nem de vômitos ou nenhum outro sintoma. Mas apesar de todos esses detalhes, Brasil decidiu tomar todas as precauções e garantir que não é Ebola. O paciente foi transferido ao Rio de Janeiro no dia seguinte via aérea até Galeão e desde lá de ambulância até o Instituto Nacional de Doenças Infecciosas Evandro Chagas (INI). Naquele local permanece isolado e tem contato somente os médicos, a enfermeira e um encarregado de limpeza.

Além de ser analisado às pessoas que entraram em contato com o paciente até o momento em que ele apresentou no centro médico. Para todos eles vai fazer verificações diárias (dois funcionários que têm contato direto no hospitalar onde está internado). Além de todas essas pessoas tiveram contato com o primeiro centro hospitalar onde foi revisado primeiro, excerto dois viviam com Bah. Além deste centro foi fechado até o dia de hoje para realizar as desinfecções respectivas.

Em caso de ser positiva o análise o país sul-americano aplicará o protocolo internacional correspondente. O resultado será conhecido hoje às 19 horas local e nesse momento haverá uma conferência de imprensa. Está preparado uma vôo sanitário preparado para longas distâncias em caso de ser necessário.

As autoridades sanitárias esclareceram que não há nenhuma possibilidade de contágio via aérea, sobretudo no ônibus que Bah se mudou de São Paulo até Cascavel.

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati