Brasil faz dobradinha inédita na ginástica artística no Pan-Americano

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

Agência Brasil

30 de julho de 2019

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Na noite de ontem (29), os brasileiros Caio Souza e Arthur Nory Mariano fizeram história na disputa individual por aparelhos na ginástica artística, com dobradinha inédita no pódio: ouro e prata, respectivamente. Foi o primeiro pódio do Brasil em Pan-Americano, na prova individual geral. Antes, a melhor posição do país foi um quarto lugar, obtido pelo próprio Caio Souza, no último Pan, em 2015, em Toronto, no Canadá.

Caio Souza, o novo campeão pan-americano, foi o melhor na prova individual geral (solo, cavalo, argolas, salto, paralelas e barra fixa) totalizando 83,500 pontos. Arthur Nory ficou em segundo lugar, com 82.950 pontos. Na terceira colocação, com o bronze, ficou o canadense Cory Peterson, com 82,200 pontos.

Medalhas

Com mais duas medalhas conquistadas à noite, o Brasil subiu para a terceira posição no quadro geral de medalhas: são ao todo 27 (oito de ouro, seis de prata e 13 de bronze). Os líderes são Estados Unidos, em primeiro, com 45 medalhas (18 ouros, 17 pratas, 10 bronzes); e México, com 32 medalhas (12 ouros, seis pratas e 14 bronzes).

Handebol

E no handebol feminino, o Brasil atropelou os Estados Unidos no final da noite desta segunda-feira, goleando as norte-americanas por 34 a 9, e vai decidir a final do título, hoje (30), às 22h30 (horário de Brasília). O Brasil vai em busca do hexacampeonato, e as adversárias, pela terceira vez seguida, serão as argentinas, que derrotaram na outra semifinal a seleção de Cuba, pelo placar 31 a 21.

A decisão Brasil x Argentina promete, já que as duas equipes estão invictas, com quatro vitórias em quatro jogos. O retrospecto da seleção brasileira é ligeiramente melhor, com 144 gols marcados e 57 sofridos. As argentinas somam 136 gols marcados e 60 sofridos.

Fonte