Atos de violência organizados por criminosos faz vítimas fatais no Rio

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rio de janeiro, onda de crimes violentissimos nos últimos dias

29 de dezembro de 2006

Rio de janeiro — A cidade do Rio de janeiro foi alvo de ataques orquestrados por criminosos, numa sequência de atentados que deixou 18 vítimas fatais segundo os últimos boletins divulgados pela imprensa. Iniciados na madrugada de 28 de dezembro, os ataques tiveram alvos diversos, de cabines de polícia a ônibus de civis.

Segundo a Agência Brasil, na madrugada um ônibus da viação Itapemirim foi incendiado e pelo menos sete pessoas morreram carbonizadas; outras 12 foram hospitalizadas.

De acordo com o então secretário da Administração Penitenciária, Astério Pereira, a cúpula da segurança pública do estado do Rio de janeiro sabia que bandidos atacariam a cidade com antecedência. A ordem para que ocorressem os ataques partiu de presidiários. Durante o dia 28 de dezembro, a onde de ataques se espalhou pelo estado, atingindo a Baixada Fluminense.

A motivação dos ataques é incerta devido à variedade de alvos atacados. Suspeita-se que se trate de um protesto dirigido às milícias que tomam conta de comunidades do Rio de janeiro, após terem expulsado traficantes. Outra hipótese seria que se trata de um aviso para a nova equipe de Segurança Pública, que toma posse em janeiro de 2007 com a mudança do controle político do Poder Executivo estadual. Ainda aventada é a possibilidade de os ataques serem uma resposta às prisões de 78 policiais suspeitos de participar da máfia dos caça-níqueis - ligados ao ex-chefe da Polícia Civil e deputado estadual eleito Álvaro Lins.

Os ataques, ocorridos durante a visita de milhares de turistas à cidade, foram noticiados por diversas agências internacionais. O governador eleito, Sérgio Cabral Filho, cujo governo inicia-se em 2007, não descartou a possibilidade de solicitar ajuda a Forças de Segurança Pública Nacional e o Exército.

Ver também

Fontes