Antigo centro de comércio de escravos renomeado em memória de George Floyd

7 de julho de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

Uma pequena ilha na costa da África, conhecida por seu papel no tráfico de escravos, mudou o nome de sua praça principal em resposta à morte de George Floyd e ao movimento global Black Lives Matter.

A ilha de Goree, a poucos quilômetros da costa do Senegal, anunciou na terça-feira que a "Praça da Europa" será agora conhecida como "Praça da Liberdade e Dignidade Humana".

“O nome Praça da Europa era, de certa forma, um símbolo de amizade entre os povos, mas também dissemos a nós mesmos… que, em outro sentido, está comemorando o perseguidor. O que aconteceu com George Floyd foi a gota d'água”, disse Doudou Dia, presidente da comissão de turismo da ilha.

O afro-americano foi assassinado em 25 de maio por um policial de Minneapolis. Derek Chauvin manteve o joelho no pescoço de Floyd por quase nove minutos. A sua morte desencadeou protestos em diversos países.

Goree foi um local de grande retenção de escravos entre 1536 e 1848. A ilha foi valorizada por seu pequeno tamanho e localização estratégica e disputada por portugueses, holandeses, franceses e britânicos durante seus 312 anos de história, de acordo com a BBC.

Hoje, a ilha é popular entre os turistas e vários líderes mundiais, incluindo Nelson Mandela, o papa João Paulo II e o ex-presidente dos EUA Barack Obama, visitaram o local.

Fontes