Aluno atira em colegas em escola de Goiânia e mata dois alunos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

22 de outubro de 2017

Na manhã desta sexta-feira do dia 20 de outubro de 2017, no Colégio Goyases, em Goiânia, um aluno vítima de bullying abriu fogo contra os colegas, matando dois e ferindo quatro.[1][2][3] Ele cursava o oitavo ano e era filho de policiais militares,[4][5][6] e foi contido pelos colegas e pela coordenadora quando parou para recarregar a arma.[7][8]

O Governo de Goiás decretou luto oficial por três dias.[9][10] Os pais dos alunos fizeram vigília durante a noite em frente ao colégio onde houve atentado.[11]

Os estudantes mortos foram enterrados ontem.[12] O Ministério Público do Estado de Goiás recomendou na tarde do sábado 21 de outubro a internação provisória por 45 dias do autor dos disparos, e horas depois, a juíza plantonista Mônica Cézar Moreno Senhorello acatou o pedido.[13]

Referências

  1. Aluno que matou 2 em escola de GO se inspirou em massacres de Columbine e Realengo, diz polícia
  2. Tiroteio em colégio de Goiânia deixa dois mortos
  3. Autor dos disparos em colégio sofria bullying e ganhou desodorante de “presente”
  4. Aluno atira em colegas dentro de escola em Goiânia, mata dois e fere quatro
  5. Atentado a escola em Goiânia foi motivado por bullying
  6. Tiroteio em escola de Goiânia deixa ao menos dois mortos e feridos
  7. Aluno atira em colegas dentro de escola em Goiânia e mata dois
  8. Aluno que matou 2 em escola de GO se inspirou em massacres de Columbine e Realengo, diz polícia
  9. Governo lamenta atentado e decreta luto
  10. Autor do atentado no colégio Goyazes é filho de militar e sofre bullying
  11. Pais de alunos fazem vigília em frente ao colégio onde houve atentado
  12. Estudantes mortos em escola serão enterrados neste sábado
  13. Justiça determina internação de aluno que matou colegas em GO, Veja

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati