Atirador mata 17 pessoas na escola e é morto pela polícia na Alemanha

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

11 de março de 2009

Albertville e Winnenden, Alemanha — Mais um caso de massacre contra pessoas dentro de escola, resultou na morte de 17 pessoas, entre alunos e civis. O autor do ataque a uma escola na cidade alemã de Winnenden morreu em troca de tiros com a polícia durante a fuga.

A polícia chegou a dizer que havia matado o rapaz. Mas, segundo o porta-voz da polícia na vizinha Waiblingen, Rainer Koeller, não ficou claro se ele foi morto por tiros disparados por policiais ou se ele se matou.

A última morte foi divulgada no início da tarde desta quarta-feira. A vítima é um aluno que havia sido baleado de manhã.

O Ataque

Vestido com roupas pretas de combate, o jovem de 17 anos identificado como Tim K., invadiu a escola secundária Albertville por volta das 9h30 (5h30 no horário de Brasília). Ele procurou duas salas de aula específicas e atirou a esmo. Nove estudantes de 14 e 15 anos morreram no local. "Ele simplesmente atirou para todos os lados", disse à revista “Spiegel” um porta-voz da polícia.

O criminoso ainda matou três professores e uma pessoa numa clínica vizinha antes de fugir de carro com um refém para o centro da cidade. Perseguido pela polícia, ele morreu durante tiroteio em um supermercado na região de Esslingen. Na troca de tiros, duas pessoas morreram e dois policiais ficaram gravemente feridos.

Segundo a polícia, o jovem era ex-aluno da escola Albertville, que tem 580 estudantes. Autoridades locais disseram que ele não se destacava por qualquer tipo de comportamento suspeito. Depois de deixar a escola, no ano passado, ele iniciou uma formação profissional. O motivo dos ataques ainda é desconhecido.

A escola foi evacuada e isolada logo após o episódio e as testemunhas receberam atendimento médico e psicológico.

A cidade de Winnenden tem 27.600 habitantes e fica 20 quilômetros ao nordeste de Stuttgart, umas das maiores cidades alemãs. O histórico município mercantil tem origens que remontam ao século 12 e é sede da firma alemã Kaercher, renomada fabricante de aspiradores de pó e lavadoras de alta pressão.

Repercussão

"Sou diretor de polícia em Baden-Wuerttemberg há 19 anos e não me recordo de nenhum ato tão terrível quanto este", disse Erwin Hetger, chefe de polícia do Estado do sudoeste da Alemanha. Um porta-voz do governo alemão em Berlim se disse "profundamente chocado" com o incidente. Tanto a chanceler federal Angela Merkel quanto o presidente Horst Köhler lamentaram o ocorrido.

De acordo com a agência alemã Deutsche Welle, o porta-voz do governo em Berlim, Ulrich Wilhelm, acentuou "o profundo pesar e consternação" da premiê. A ministra alemã da Família, Ursula von der Leyen], assinalou a necessidade de uma melhor precaução de casos como esse no país, entre outros através de uma cooperação mais estreita entre as escolas e os pais.

Outras tragédias Tiroteios em escolas chocaram a Alemanha nos últimos anos.

Em abril de 2002, a Alemanha sofreu o pior incidente do gênero quando um homem matou 17 pessoas, incluindo a si próprio, em uma escola na cidade de Erfurt, no leste do país.

Em 2006, um homem mascarado carregando explosivos nas roupas e portando rifles abriu fogo em uma escola na cidade de Emsdetten, no oeste do país, ferindo pelo menos 11 pessoas antes de cometer suicídio.

Fontes