A verdadeira revolução na Coreia do Norte

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Ir para: navegação, pesquisa

28 de agosto de 2017

Enquanto Kim Jong-un nas últimas semanas ganhou atenção por sua ameaça de disparar mísseis perto de Guam, sua política também se concentra no desenvolvimento da economia.

A aceitação de uma economia mais favorável ao consumidor deve promover o crescimento econômico e trazer lucros para os cofres do regime. Mas assim como a busca de armas nucleares, é um negócio arriscado.

Sob o novo plano de cinco anos para a economia anunciado em maio passado, as fábricas estão colocando a nova prioridade em fazer mais e melhor uso diário de bens de consumo. Os gerentes têm mais liberdade para decidir o que fazer, quanto pagar seus trabalhadores e como forjar parcerias lucrativas.

Ao longo das estradas em praticamente todas as cidades, vendedores ambulantes, geralmente mulheres idosas, vendem frutas, vegetais e outros alimentos. Nas cidades, mercados, lojas e lojas de departamento estão cheios de pessoas. As prateleiras mostram dezenas de marcas de cigarros fabricados no mercado interno, refrigerantes açucarados ou sopas enlatadas. Embora o uso de dólares dos EUA ou Renminbi chinês permaneça generalizado, mais pessoas estão usando cartões pré-pagos sugerindo maior poder de compra.

"Na Coréia do Norte de hoje, há uma crescente concorrência entre as próprias empresas nacionais ao tentar atrair clientes e estabelecer marcas respeitáveis", disse Michael Spavor, um empresário canadense que visita o Norte com frequência e é um dos poucos ocidentais a conhecer Kim Jong-un.

O regime não é cego para o que está acontecendo. Sabe que o novo consumismo pode ser uma força desestabilizadora. Mas também sabe que precisa dos mercados.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati