África do Sul: governo confirma que caso dos décuplos era uma fraude; jornalista que fez acusações contra hospital e autoridades será processado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

24 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O governo do estado de Gauteng, na África do Sul, anunciou ontem em seu Twitter (leia aqui) que, após avaliações e exames conduzidos nos últimos dias, os médicos constataram que Gosiame Sithole não havia dado à luz e nem havia estado grávida recentemente.

O governo também anunciou que instruiu a Promotoria Pública a tomar ações legais contra o jornalista Piet Rampedi e o Independent Media, grupo que é dono do jornal Pretoria News (IOL), após acusações, na semana passada, de que autoridades sanitárias estariam acobertando um caso de negligência médica no Hospital Steve Biko Academic que teria levado os supostos bebês à morte.

Rampedi tinha os direitos de exclusividade sobre a história e foi o primeiro a reportar o nascimento dos décuplos no Pretoria News, do qual é editor, no dia 08 passado.

"As alegações são falsas, sem substância e só servem para manchar a boa reputação do Hospital Steve Biko Academic e do Governo de Gauteng", diz o comunicado oficial.

Anteontem, Rampedi havia enviado uma nota à editora-chefe do Independent Media pedindo desculpas pelos problemas que havia causado a seus colegas de trabalho, porém ainda mantinha como verdadeira a história de que Sithole havia dado à luz 10 bebês.

Relembre a história

  • No dia 08 de junho o jornalista Piet Rampedi noticiou com exclusividade o nascimento de décuplos na África do Sul;
  • No dia seguinte, a imprensa do país passou a reportar que nenhuma autoridade da Saúde ou hospital de Gauteng tinha registro do nascimento dos bebês;
  • No dia 10, a família do marido de Sithole procurou a polícia e registrou o desaparecimento da mulher e dos supostos bebês, já que ela não havia sido encontrada em nenhum dos três hospitais cujos nomes havia informado ao marido;
  • No dia 11, Rampedi divulgou uma entrevista com Sithole, onde ela aparecia sem qualquer sinal de ter dado à luz, dizendo que não diria onde os bebês estavam;
  • No dia 12, o marido de Sithole foi à Polícia para prestar declarações sobre o desaparecimento da esposa e disse que provavelmente os bebês não existiam e que as pessoas deveriam parar de fazer doações para a família;
  • No dia 15, o Fórum Nacional de Editores da SA (Sanef) criticou Rampedi por sua cobertura do caso, afirmando que o jornalista não teve senso crítico desde o início e que jamais verificou "os fatos com o hospital ou os médicos envolvidos”;
  • No dia 17, Sithole foi localizada na casa de parentes na cidade de Midrand, há cerca de 30 quilômetros de Tembisa, onde a família morava, e levada para prestar depoimento na Polícia Estadual, tendo depois sido internada num hospital, a pedido do Departamento de Assitência Social, para fazer exames médicos, inclusive psiquiátricos.

Notícias Relacionadas

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit