Saltar para o conteúdo

"Café com Presidente" Lula passa a ser semanal

Fonte: Wikinotícias
Como parte da política de proteção do Wikinotícias, esta notícia está protegida.

Brasil • 5 de setembro de 2005

link=mailto:?subject="Café%20com%20Presidente"%20Lula%20passa%20a%20ser%20semanal%20–%20Wikinotícias&body="Café%20com%20Presidente"%20Lula%20passa%20a%20ser%20semanal:%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/%22Caf%C3%A9_com_Presidente%22_Lula_passa_a_ser_semanal%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook X WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit

link=mailto:?subject="Café%20com%20Presidente"%20Lula%20passa%20a%20ser%20semanal%20–%20Wikinotícias&body="Café%20com%20Presidente"%20Lula%20passa%20a%20ser%20semanal:%0Ahttps://pt.wikinews.org/wiki/%22Caf%C3%A9_com_Presidente%22_Lula_passa_a_ser_semanal%0A%0ADe%20Wikinotícias Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O programa radiofônico "Café com o Presidente", transmitido no Brasil pelas emissoras Radiobras e que apresenta uma entrevista com o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixará de ser quinzenal e passará a ser semanal, segundo informou o próprio programa.

O programa "Café com o Presidente" vai ao ar às segundas-feiras pela Rádio Nacional AM de Brasília e pelas emissoras do sistema Radiobrás às 6, 7, 8 e 13 horas.

No programa desta segunda-feira (5), Lula comentou a situação da economia brasileira e uma pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde, na última semana, e que mostrou uma diminuição no número de mortes por armas de fogo no Brasil.

Ao comentar a situação da economia Lula disse:

Nós estamos vivendo um momento muito bom na economia. Apesar da turbulência política, a sociedade brasileira compreende que a economia precisa dar certo porque, dando certo a economia, vai dar mais certo ainda a vida dos 186 milhões de brasileiros. Nós estamos com a economia crescendo, segundo dados do IBGE, acima da expectativa do Banco Central.

Sobre a pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde, o presidente brasileiro disse:

Eu acho que na pesquisa tem um dado extremamente importante: eu assisti à entrevista do ministro Márcio Thomaz Bastos e lembro quando ele levou para uma reunião comigo a decisão da campanha do desarmamento. Naquela época a gente imaginava que em um ano poderíamos arrecadar 80 mil armas. O dado concreto é que de julho de 2004 a agosto de 2005 nós arrecadamos 443 mil armas. O uso de armas caiu 8.2% em todo o país, o que é um resultado muito importante.

Fontes