Vinte pessoas formalmente acusadas de tentativa de golpe de Estado em São Tome e Príncipe

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

Ministério Público entrega aos tribunais caso registado em Agosto

8 de novembro de 2018

O Ministério Público (MP) de São Tomé e Príncipe acusou 20 arguidos de crimes, incluindo atentado contra o Presidente e associação criminosa devido ao que chama de "tentativa de golpe de Estado, desmantelada" em Agosto.

Em comunicado enviado às redacções nesta quinta-feira, 8, o MP cita os crimes de alteração do Estado de Direito, posse de engenhos e substâncias explosivas e contrafação de moedas e de conjura atribuídos aos arguidos.

Entre as duas dezenas de arguidos cujos nomes não foram divulgados pelo comunicado, estão os três cidadãos espanhóis e dois são-tomenses detidos preventivamente desde essa altura.

Em Agosto, um comunicado do Governo são-tomense informava ter impedido uma "acção terrorista" que visava o sequestro do Presidente da República, do presidente da Assembleia Nacional e a eliminação física do primeiro-ministro e chefe do Governo.

"Nesta operação foram detidos por enquanto três indivíduos de nacionalidade espanhola e dois cidadãos nacionais", indicava a nota, acrescentando que "além destas detenções, foram apreendidos na posse dos três cidadãos espanhóis, que actuavam no país como mercenários, material bélico, facas de mato, granadas, binóculos e óculos de visão nocturna, uniformes estrangeiros com distintivos nacionais, entre outro equipamento".

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati