União Européia descarta, por enquanto, pacote de ajuda ao sistema financeiro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

7 de outubro de 2008

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A União Européia descarta, pelo menos por enquanto, um pacote único de ajuda ao sistema financeiro europeu. Mas há consenso de que cada país deve fazer o que puder para evitar o colapso do setor econômico.

Em declaração divulgada ontem (6), os 27 chefes de estado e de governo dos países-membros do bloco garantem que adotarão todas as medidas necessárias para assegurar a estabilidade do sistema – seja por meio da injeção de liquidez pelos bancos centrais, por medidas específicas sobre alguns bancos ou pelo reforço à proteção de depósitos bancários. “Nenhum depositante nos bancos de nossos países sofreu perdas e seguiremos tomando a medidas necessárias a fim de proteger o sistema e os depositantes”, diz a nota da União Européia.

Ministros de Economia e Finanças do bloco estão reunidos hoje (7), em Bruxelas, analisando as propostas feitas em Paris, no último sábado, pelas quatro maiores economias européias – Itália, Alemanha, França e Reino Unido. De acordo com a Rádio França, a Itália deve propor a criação de um fundo comum de socorro aos bancos equivalente a 3% do Produto Interno Bruto (PIB) da União Européia.

Segundo informações do jornal espanhol El País, os 27 sócios já aprovaram, hoje, proposta para elevação de 20 mil para 50 mil euros a garantia mínima de depósitos bancários dos cidadãos europeus. A decisão segue o exemplo norte-americano. Para tornar o pacote de resgate aos bancos mais popular, o Congresso dos Estados Unidos acrescentou ao plano original a ampliação da garantia de depósitos bancários de US$ 100 mil para US$ 250 mil.

Ainda de acordo com o periódico, alguns países europeus, como a Espanha, estariam dispostos, inclusive, a ir além dos 50 mil euros acordados – o país espanhol teria intenção de ampliar tal garantia para 100 mil euros. As medidas devem ser anunciadas ainda hoje pelo presidente do governo espanhol, José Luis Zapatero.

A Suécia anunciou hoje que vai dobrar de 25 para 50 mil euros a garantia dos depósitos das contas privadas de poupança no país. Na semana passada, Irlanda e Grécia tomaram a dianteira anunciando garantia de 100% dos depósitos bancários. No domingo (5) foi a vez da Alemanha adotar medida semelhante. Ontem (6), Portugal e Dinamarca adotaram a mesma medida.


Fontes