Unasul defende respeito às normas constitucionais na Bolívia e pede apuração de massacre

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

16 de setembro de 2008

Num documento divulgado na madrugada desta terça-feira (16), em Santiago do Chile, os presidentes de nove países da União de Nações Sul-americanas (Unasul) defendem a necessidade de respeito às regras constitucionais na Bolívia, pedem o fim dos bloqueios nas estradas do país e cobram uma investigação para apurar o massacre de pelo menos 30 camponeses no departamento (estado) de Pando, no extremo norte do país, na fronteira com o Brasil.

O documento foi lido pela presidente chilena Michelle Bachelet, anfitriã da cúpula extraordinária da Unasul, realizada no Palácio de la Moneda, sede do governo do Chile. Nos oito itens aprovados no encontro, os nove presidentes pedem respeito à vida, às liberdades democráticas e criticam a violência. Eles também anunciaram a criação de um grupo para dar assistência às vítimas da violência vivida nas últimas semanas pela Bolívia, onde um grupo de governadores faz uma forte oposição ao presidente Evo Morales, cobrando mais autonomia para seus departamentos.

Além de Michelle Bachelet, particparam da reunião os presidentes Evo Morales (Bolívia), Luiz Inácio Lula da Silva (Brasil), Cristina Fernández de Kirchner (Argentina), Álvaro Uribe (Colômbia), Rafael Correa (Equador), Fernando Lugo (Paraguai), Tabaré Vázquez (Uruguai) e Hugo Chávez (Venezuela).


Fontes