Umaro Sissoco é o novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

18 de novembro de 2016

Umaro Sissoco é brigadeiro, especialista em mediação política internacional, defesa e cooperação

Umaro Sissoco foi nomeado nesta Sexta-feira, 18, primeiro-ministro da Guiné-Bissau, pelo Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz.

José Mário Vaz justificou a escolha com o argumento de que o novo executivo precisa do "apoio parlamentar ou pelo menos não ter a maioria contra ele".

Umaro Sissoco integra o quinto governo da legislatura iniciada em 2014 e o seu nome estava na lista de possíveis primeiros-ministros desde Outubro deste ano, quando o Presidente guineense anunciou que iria nomear novo primeiro-ministro.

A 15 de Novembro, José Mário Vaz havia demitido o governo de Baciro Djá, perfazendo assim, quatro Governos em dois anos de mandato, nomeadamente os de Domingos Simões Pereira, de Carlos Correia e de Baciro Djá, por duas vezes.

Quem é Umaro Sissoco Embaló

É um brigadeiro guineense, especialista em mediação política internacional, defesa e cooperação. No seu website destaca a sua especialidade em assuntos africanos e do Médio Oriente.

De nome completo Umaro Mokhtar Sissoco Embaló, o novo primeiro-ministro nasceu em Bissau a 23 de Setembro de 1972.

Sissoco licenciou-se em Relações Internacionais pela Universidade Técnica de Lisboa e tem Mestrado e Doutoramento pela Universidade Complutense de Madrid na área das Ciências Políticas e Sociais e Relações Internacionais, respectivamente.

Na área da Defesa e Militar, Sissoco tem no currículo Formação de Estudos de Defesa Nacional em Espanha e Formação em Inteligência, Segurança e Estratégia na Bélgica. De destacar outras formações académicas de Sissoco em Israel, Estados Unidos, Japão e África do Sul.

Umaro Sissoco, nomeado primeiro-ministro da Guiné Bissau a 18 de Novembro de 2016, fala também seis línguas: português, francês, inglês, espanhol, árabe e swahili.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati