Um tiroteio em uma escola secundária dos Estados Unidos deixa dois mortos e quatro feridos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

24 de outubro de 2014

Um estudante fez vários disparos, hoje (24), em uma escola de Seatle (estado de Washington, no noroeste dos Estados Unidos), matando um e feriu pelo menos quatro (três delas com condições críticas) antes de se matar, anunciou a imprensa citando fontes policiais. Imagens ao vivo transmitidas pela televisão mostraram policiais e serviços de emergência perto da escola secundária de Marysville-Pilchuck.

Segundo a imprensa norte-americana, com fontes policiais e testemunhos, o tiroteio começou no refeitório da escola. Na cafeteria da escola, aonde cursam estudos aproximadamente 2500 alunos, um estudante abriu fogo de maneira repentina, sinalizou a mãe de um dos escolares. Ao redor das 10:30 hora local, as autoridades receberam a primeira alerta após uma chamada ao 911.

Ao iniciar-se os disparos, muitos estudantes pensaram se tratava de um simulacro. No obstante, as chamadas dos professores entrincheiram-se nas aulas, confirmaram que se tratava de um tiroteio. Um dos estudantes declarou a uma televisão que estava comendo quando ouviu quatro tiros e viu uma arma, em seguida, fugiu do local.

Após relatos de tiroteios no lugar, chegaram primeiros policiais e os paramédicos. As televisões também mostraram imagens de estudantes deixando o perímetro da escola. Em imagens aéreas mostradas pela estação KIRO-TV, se observou os estudantes correndo fora dos edifícios, com os braços levantados. Os alunos foram transferidos à uma igreja perto.

Segundo a imprensa, citando fontes policiais, o responsável pelo ataque foi Jaylen Fryberg, aluno do primeiro ano do instituto escolar que disparou entre quatro e seis vezes, foi uma das vítimas ao suicidar-se. A morte do jovem atirador já foi confirmada pela polícia, acrescentando que só havia único atirador. De acordo com as autoridades, a escola foi assegurada "devido a uma situação de emergência".

Fontes[editar]

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati