Ucrânia aceita reunião com países consumidores do gás russo, mas pede que não seja realizada na Rússia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Foto do presidente ucraniano Víctor Yúschenko
Foto do presidente russo Dmitri Medvedev

14 de janeiro de 2009

Kiev,Ucrânia

O presidente da Ucrânia, Víctor Yúschenko, aceitou hoje, a iniciativa russa de uma reunião com os países consumidores e de tráfego do gás russo, mas pediu que seja realizada em alguma outra capital da Europa, como Bruxelas ou Praga e não em Moscou, capital da Rússia. Ele diz que a reunião será "oportuna". O líder ucraniano, que se encontra na Polônia, opinou no entanto, que a Rússia, como parte do atual conflito sobre o gás, não pode sediar uma cúpula de tal índole em seu território, como pretendia o Kremlin. O presidente da Ucrânia enfatizou que o local mais adequado para acolher o encontro seria uma das grandes cidades européias, como Praga, capital do país que preside este semestre a UE ou Bruxelas, que acolhe a sede da Comissão Européia.

A República Tcheca, que exerce a presidência rotativa da União Européia (UE), ainda não respondeu ao pedido da Rússia, disse um porta-voz. Ele não disse quando a presidência da UE será capaz de responder ao pedido do presidente russo.

Nesta quarta, Dmitri Medvedev, presidente russo, afirmou que a estatal russa OAO Gazprom acumula perdas de US$ 1,1 bilhão na receita com as exportações de gás para a Europa desde 1º de janeiro, por causa da disputa com a Ucrânia. "Nosso país não pode perder tal soma de dinheiro", disse Medvedev durante uma reunião com o presidente da Gazprom, Alexei Miller.

Fontes