UE alerta para respeito pelas liberdades e direitos humanos em Angola

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

17 de novembro de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A União Europeia (UE) está preocupada com o respeito dos direitos humanos em Angola e alerta o Executivo que o período da pandemia não pode justificar retrocessos.

"Exprimimos com muita clareza as preocupações com os acontecimentos de 24 de outubro e 11 de novembro e o senhor ministro [da Justiça] respondeu de maneira muito positiva, dizendo que essas liberdades não desaparecem quando há desafios, têm de continuar a ser respeitadas", revelou a embaixadora da UE em Luanda, Jeannette Seppen, após um encontro nesta terça-feira, 17, com o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, Francisco Queiroz.

Na conversa com os jornalistas, Seppen realçou que certas liberdades, como a liberdade de expressão e de reunião “têm de ser respeitadas”, apesar do momento difícil por que passam todos os países.

“Sublinhámos mais uma vez a importância do respeito dos direitos humanos, mesmo numa fase muito difícil que também nós passamos na Europa”, destacou a diplomata europeia, reiterando que agora, “há mais desafios do que antes".

Jeannette Seppen afirmou ter recebido a garantia da parte angolana de que os compromissos no que diz respeito aos direitos humanos vão continuar a ser respeitados.

O encontro entre a embaixadora e o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos serviu para avaliar a Estratégia Nacional dos Direitos Humanos e o seguimento das recomendações da Avaliação Periódica e Universal do III Ciclo.

Fontes