Trump chama audiências sobre o ataque do Capitólio de 'produção teatral'

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

18 de junho de 2022

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, criticou duramente na sexta-feira o comitê da Câmara que investiga o ataque de 6 de janeiro de 2021 ao Capitólio dos EUA, em sua primeira aparição desde que o comitê iniciou suas audiências públicas.

Falando a uma reunião de conservadores religiosos em Nashville, Tennessee, Trump disse: "Vamos ser claros, esta não é uma investigação do Congresso - essa situação horrível está desperdiçando o tempo de todos".

“Esta é uma produção teatral de ficção política partidária que está recebendo essas classificações terríveis e eles estão enlouquecendo”, acrescentou.

As audiências expuseram como ocorreu o ataque ao Capitólio e o papel de Trump nele, convidando seus apoiadores a vir a Washington e “lutar” para mantê-lo no cargo.

No último dia de audiências, na quinta-feira, testemunhas prestaram depoimento de que Trump pressionou repetidamente o então vice-presidente Mike Pence para impedir o Congresso de certificar que o democrata Joe Biden venceu a eleição presidencial de 2020, mesmo depois de ter sido repetidamente avisado de que era ilegal fazê-lo.

Trump, em particular e publicamente em um comício perto da Casa Branca pouco antes da convocação do Congresso, implorou a Pence que rejeitasse a contagem eleitoral dos estados onde Biden venceu e enviasse os resultados de volta. Pence recusou as exigências de Trump.

Trump criticou Pence novamente na sexta-feira por não impedir a certificação de votos, dizendo: "Mike Pence teve a chance de ser ótimo. Ele teve a chance de ser, francamente, histórico".

O comitê da Câmara que investiga o ataque mostrou um breve videoclipe na quinta-feira de Marc Short, que atuou como chefe de gabinete de Pence, dizendo que Pence disse a Trump “muitas vezes” que não tinha autoridade para derrubar a vitória de Biden.

Trump continuou afirmando na sexta-feira que venceu as eleições de 2020 e insistiu que não fez nada de errado após a votação.

Ele deu a entender que voltaria a concorrer à presidência, perguntando à multidão animada: "Alguém gostaria que eu concorresse à presidência?"

Na segunda-feira, Trump divulgou um comunicado de 12 páginas chamando a investigação de 6 de janeiro de uma tentativa dos democratas de impedi-lo de concorrer novamente à presidência em 2024.

Fontes