Trinidad & Tobago surpreende e empata sem gols com a Suécia

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Escalação inicial (amarelo: Suécia; vermelho: Trinidad e Tobago).

10 de junho de 2006

Dortmund, Alemanha — Em apenas dois dias a Copa do Mundo de 2006 já produziu sua primeira "zebra": a seleção de Trinidad & Tobago empatou sem gols com a equipe da Suécia.

O jogo entre Suécia e Trinidad Tobago acabou por ser o primeiro jogo da Copa do Mundo de 2006 a terminar sem que tivesse sido marcado algum gol. O placar de 0 X 0 deveu-se à ineficiência do ataque sueco em superar a defesa da fraca seleção de Trinidad e Tobago.

Os caribenhos, considerados o time mais inexpressivo da competição (as casas de aposta pagam cerca de £1000 se Tobago vencer, além se ser o menor país a disputar uma Copa), conseguiram manter um resultado histórico e estão empatados com os suecos na segunda posição do Grupo B, atrás da Inglaterra, que venceu o Paraguai por 1 a 0. O jogo ocorreu às 13:00 horas no Brasil (-3UTC), na cidade de Dortmund.

O time de Trinidad e Tobago reconheceu a aparente superioridade técnica da Suécia e mostrou logo no começo do jogo que iria ficar a maior parte do tempo na defesa.

Em muitos lances da partida, os jogadores de Trinidad foram excessivamente voluntariosos na marcação e cometeram algumas faltas mais ríspidas. Ao término da partida, a equipe latina comemorou enquanto a seleção nórdica saiu de forma amarga.

Súmula

Comandados pelo goleiro Shaka Hislop (que fechou o gol e fez meia dúzia de defesas importantes), pelo veterano Dwight Yorke e as boas substituições feitas pelo técnico holandês Leo Birkenhaler, Tobago conseguiu seu primeiro ponto em uma Copa, visto que esta é a sua primeira.

Como era de se esperar, a Suécia começou o jogo pressionando e criando inúmeras oportunidades de gol. A partir da metade da primeira etapa os nórdicos esfriaram o ritmo e Trinidad começou a tocar a bola e aumentar a porcentagem de posse de bola, chegando a chutar a gol.

Os suecos voltaram preocupados do segundo tempo, já que ainda não haviam marcado na seleção mais fraca do grupo. Porém, uma das faltas, que aconteceu por volta dos 40 segundos do segundo tempo, fez com que o zagueiro Avery John fosse expulso, antes do primeiro minuto, após o segundo cartão amarelo.

Apesar de ter mais um homem e dado espaço, a Suécia não conseguiu chegar ao gol, pois continuava desperdiçar. E por pouco, o pior não acontece para os suecos. Então Birkenhaler resolve inovar e tira um atacante para entrar outro, ao invés do que seria mais comum, um zagueiro no lugar do atacante.

Nos 13 minutos iniciais do segundo tempo, numa de suas poucas chances de gol, Trinidad chuta uma bola na trave da Suécia e quase abre o placar.

Tobago começa a se aproveitar da tensão dos suecos e arrisca mais obrigando a algumas defesas. Aos 30 entram dois meias e a Suécia inicia sua "blitz", mas sem sucesso. Tobago continua a se defender e o jogo termina em 0 a 0.

Os caribenhos conseguem uma façanha, complicando a vida da Suécia que precisa de uma vitória contra o Paraguai, considerado o "jogo da segunda vaga", já que a Inglaterra enfrenta Tobago e deve ganhar, garantindo uma vaga.

O resultado final da partida foi comemorado entusiasticamente pelos jogadores e torcida de Trinidad e Tobago. No semblante dos jogadores suecos era visível a insatisfação.

Ver também


Desporto
Este artigo descreve um evento desportivo acompanhado ao vivo pelo colaborador. Eventos desportivos acompanhados pelos colaboradores não precisam de fontes especificadas.