Tribunal condena Saddam Hussein à forca

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

5 de novembro de 2006

Saddam Hussein, ex-estadista iraquiano, foi condenado, hoje, pelo Tribunal Superior Iraquiano. Saddam e outros dois colaboradores foram condenados à forca pela morte de 148 pessoas em 1982. Ao receber o veredicto, Saddam gritou “Deus é grande! Viva longa ao povo iraquiano! Morte aos traidores!”.

Além dos dois colaboradores condenados à forca, Awad Ahmed al Bandar e Burzan Ibrahim, um foi condenado à prisão perpétua, Taha Yassin Ramadan, e outros três foram condenados à 15 anos de prisão, Abdala Kadhem Rueid, seu filho Mezhar Abdala Rueid e Ali Daeh Ali. Um dos réus, Mohamed Azzam al Ali, foi absolvido por falta de provas.

Os advogados de Saddam Hussein reclamam da proximidade do governo estadunidense no julgamento e observam que a data do veredicto foi programada para influir na eleição do congresso dos Estados Unidos, que deve ocorrer na próxima terça-feira. O Partido Republicano, de George W. Bush, leva desvantagem nas pesquisas eleitorais e teme perder a maioria no congresso. Os advogados de Saddam recorreram da sentença.

A condenação despertou manifestações no Iraque. Sunitas protestaram na cidade natal de Saddam, Tikrit. Xiitas, povo ao qual pertenciam as vítimas de 1982, comemoraram.

Fontes

As categorias deste artigo foram atualizadas em 17 de fevereiro de 2008. Para maiores informações veja o histórico.