Traficante Fuminho expulso de Moçambique para o Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência VOA

19 de abril de 2020

O barão da droga brasileiro, Luíz Gomes de Jesus, conhecido nos meandros do crime como Fuminho, foi na madrugada deste domingo (19) expulso de Moçambique para o Brasil. A notícia foi avançada pelo ministro do Interior, Amade Miquidade, em comunicado.

A nota diz que a decisão de expulsar Fuminho foi tomada tendo em conta que “o cidadão também conhecido por Gilberto Aparecido dos Santos não observou os procedimentos migratórios e a entrada irregular no país é fundamento para a expulsão administrativa”,e acrescenta que que “violou a Constituição da República e o Regime Jurídico do Cidadão Estrangeiro em Moçambique”.

Imagens em vídeo foram posteriormente partilhadas nas redes sociais com Fuminho acorrentado e, sob fortes medidas de segurança, a ser entregue a elementos da Polícia Federal do Brasil, que foram a Maputo numa aeronave da Força Aérea daquele país para receber o criminoso.

Fuminho foi detido em Maputo pelas autoridades moçambicanas a 13 de abril no luxuoso Montebelo Indy Maputo Congress Hotel (ex-Indy Village) na companhia de outro brasileiro e de um nigeriano.

Ele é considerado pelas autoridades brasileiras como o maior fornecedor de cocaína à organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), com sede em São Paulo e milhares de membros no Brasil e em países vizinhos.

Notícia Relacionada

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com