Toffoli determina votação secreta na eleição do Senado

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O ministro Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli

2 de fevereiro de 2019

Brasil — Hoje (2), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, anunciou que ocorrerá de maneira secreta a votação para presidência do Senado. Ele aceitou os pedidos dos partidos Solidariedade e MDB.

“Por conseguinte, declaro a nulidade do processo de votação da questão de ordem submetida ao plenário pelo senador da República Davi Alcolumbre [DEM-AP], a respeito da forma de votação para os cargos da Mesa Diretora”, diz a decisão.

Presidida por José Maranhão (MDB-PB), o senador mais idoso da casa, a sessão deve começar às 11h, após ter sido suspensa na noite anterior.

Na decisão, Toffoli cancelou a votação presidida por Alcolumbre, que, por 50 votos a favor e 2 contra, determinava que os votos seriam públicos — um total de 28 senadores não votaram.

Toffoli foi o responsável pela ação porque é o plantonista de fim de semana no Supremo Tribunal Federal. Em nove páginas, ele afirma que o voto secreto é comum em diversas casas legisladoras, não só no Brasil.

Fonte

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com