Temendo nova crise, União Europeia lança fundo para financiar investimentos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de dezembro de 2014

União Europeia

Impulsionar a recuperação da economia europeia e avançar numa solução para o conflito da Ucrânia são os dois desafios da União Europeia, apresentados ontem (18) à noite pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, em Bruxelas, na Bélgica, logo após a última reunião do Conselho em 2014, com representantes dos 28 países-membros.

Durante a reunião, houve acordo sobre a criação do Fundo Europeu para o Investimento Estratégico (EFSI, da sigla em inglês) com o objetivo de impulsionar o crescimento e reduzir o desemprego na Europa. A proposta do Fundo deve ser apresentada ao Parlamento Europeu em janeiro. A meta é de a medida que seja aprovada pelos legisladores até junho, para que esteja em pleno funcionamento já no segundo semestre do ano que vem.

O desafio, segundo Tusk, é mobilizar 315 bilhões de euros (o equivalente a mais de R$ 1 trilhão) entre 2015 e 2017, recurso que será usado para financiar projetos promissores em setores estratégicos, entre eles, energia, transporte, pesquisa e educação. O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em entrevista à imprensa após a reunião, enfatizou a importância do plano para acelerar investimentos na Europa. “Estamos enfrentado uma crise, uma redução nos investimentos, e temos que agir para que possamos promover uma renovação no crescimento da economia e gerar empregos.”

Quanto à situação de conflito no Leste da Ucrânia, os líderes dos países-membros concordaram em ampliar o apoio financeiro a Kiev, com o objetivo de fortalecer a recuperação do país. “Uma Ucrânia moderna, segura e independente é um elemento importante em nossa estratégia nas fronteiras do Leste”, enfatizou o presidente do Conselho. Também houve consenso dos líderes sobre a manutenção das sanções econômicas impostas à Rússia pela anexação do território da Crimeia.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati