Talibã proíbe todo programa de TV com artistas do sexo feminino

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

22 de novembro de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Agência VOA

O Talibã ordenou no domingo que os canais de televisão no Afeganistão parassem de veicular novelas com mulheres artistas e disse que as jornalistas devem usar hijabs de acordo com a interpretação do grupo da lei islâmica ou Sharia.

As restrições são parte de um novo conjunto de diretrizes de oito pontos emitido pelo Ministério Talibã para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício, ou polícia moral, no último sinal de que o grupo linha-dura está restringindo os direitos das mulheres. Além disso, as diretrizes diziam que filmes e dramas não deveriam ter atores femininos. Além disso, a nova política impede que as emissoras de televisão exibam homens considerados indecentemente expostos ou não cobertos do peito aos joelhos.

O ministério defendeu a diretriz, dizendo que tem como objetivo conter a propagação da “imoralidade” e a exibição de vídeos que “vão contra os princípios da Sharia e dos valores afegãos”. Ele pediu a representantes de redes de televisão em Cabul que cumprissem as diretrizes durante o horário de transmissão.

“Filmes estrangeiros e produzidos localmente que promovem a cultura e as tradições estrangeiras no Afeganistão e promovem a imoralidade não devem ser transmitidos”, disse o comunicado.

A diretriz também proíbe a veiculação de programas satíricos que “insultem” ou minem a “dignidade” das pessoas.

O departamento de polícia moral existia durante o regime anterior do Talibã no Afeganistão de 1996 a 2001, quando impiedosamente impôs essas restrições em violação dos direitos humanos fundamentais. Os abusos na época incluíam impedir que as mulheres saíssem de casa, a menos que acompanhadas por um parente próximo do sexo masculino e meninas de receberem educação.

A polícia moral do Talibã espancava publicamente as mulheres por mostrarem seus pulsos, mãos ou tornozelos e por saírem de casa desacompanhadas, abusos que levaram ao isolamento diplomático do Afeganistão na época.

Desde seu retorno ao poder em meados de agosto, o Taleban se comprometeu repetidamente a proteger os direitos das mulheres de acordo com a lei islâmica, embora as meninas afegãs ainda sejam impedidas de voltar à escola secundária na maioria das províncias.

Nenhum país reconheceu até agora o novo governo provisório do Talibã em Cabul composto apenas por homens.

Os Estados Unidos e a comunidade global em geral têm pressionado o grupo islâmico a governar o Afeganistão por meio de um sistema político inclusivo que protege os direitos de todos os afegãos, incluindo mulheres e minorias, antes de pedir legitimidade internacional.

Fonte



Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit