Tailândia inicia testes com vacinas locais contra COVID-19

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

19 de junho de 2021

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

A Tailândia iniciou testes em humanos com duas das quatro vacinas candidatas que cientistas locais estão desenvolvendo contra a COVID-19, enquanto o país luta para garantir vacinas do exterior em meio à sua pior onda de infecções desde o início da pandemia.

As vacinas locais não estarão prontas para produção em massa a tempo de ajudar a Tailândia a combater a última onda. As autoridades e desenvolvedores esperam, porém, que cheguem a tempo de dar à Tailândia - e talvez aos seus vizinhos - injeções de reforço adaptadas às principais variantes do novo coronavírus no próximo ano.

“A vacina será contra as variantes como a variante sul-africana e a variante indiana e outras, então essa será nossa estratégia”, disse Kiat Ruxrungtham, que está liderando o desenvolvimento de um dos candidatos mais esperados no Centro de Pesquisa de Vacinas da Universidade de Chulalongkorn em Bangkok.

Por enquanto, a Tailândia está contando com um conjunto de vacinas de farmacêuticos estrangeiros para alcançar a imunidade coletiva até o final do ano.

Tendo mantido as taxas de infecção baixas até 2020 com rígidos controles de fronteira e estrito distanciamento social, a Tailândia garantiu relativamente poucas doses no início da pandemia. Ela comprou alguns milhões de injeções da Sinovac da China para os mais vulneráveis ​​e fechou um acordo com a AstraZeneca que permite que a farmacêutica local SiamBioscience fabrique sua vacina COVID-19 no país.

Então veio a terceira onda em abril, levando as taxas de mortalidade e infecção a níveis recordes, e autoridades em uma onda de compras de vacinas, fechando acordos com a Pfizer, Moderna, Johnson & Johnson e Sinopharm. O governo afirma que já bloqueou 105,5 milhões de doses, o suficiente para cobrir mais de 70% dos 69 milhões de habitantes da Tailândia, e está procurando mais.

As autoridades e desenvolvedores tailandeses, no entanto, ainda veem um papel crucial para as vacinas locais.

Tanarak Plipat, vice-diretor geral de controle de doenças do Ministério de Saúde Pública, disse que as novas vacinas ajudarão a manter a Tailândia segura assim que os efeitos da primeira rodada completa de doses começarem a passar.

“Há evidências crescentes de que muito em breve poderemos precisar da dose de reforço da vacina, quero dizer, a terceira, a quarta ou a quinta. Não sabemos exatamente sobre isso e não sabemos com que frequência precisamos aumentar os anticorpos”, disse ele.

“Portanto, no longo prazo, acho que vamos precisar de um suprimento constante”, disse ele.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit