Segundo Lula, ajuda do Foro de São Paulo foi fundamental para Chávez

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Brasil • 3 de outubro de 2005

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

Para o Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, a ajuda do Foro de São Paulo (FSP) foi fundamental para o Governo do Presidente Hugo Chávez da Venezuela.

Lula falou sobre a actuação do FSP junto a outros países, entre eles a Venezuela, em 2 de julho de 2005, durante discurso no Foro de São Paulo, realizado no Brasil, na cidade de São Paulo: "Foi assim que nós, em janeiro de 2003, propusemos ao nosso companheiro, presidente Chávez, a criação do Grupo de Amigos para encontrar uma solução tranqüila que, graças a Deus, aconteceu na Venezuela. E só foi possível graças a uma ação política de companheiros. Não era uma ação política de um Estado com outro Estado, ou de um presidente com outro presidente. Quem está lembrado, o Chávez participou de um dos foros que fizemos em Havana. E graças a essa relação foi possível construirmos, com muitas divergências políticas, a consolidação do que aconteceu na Venezuela, com o referendo que consagrou o Chávez como presidente da Venezuela."

O Grupo de Amigos da Venezuela (GAV) foi criado em 15 de janeiro de 2003, com representantes do Brasil, Chile, Estados Unidos da América, México, Espanha e Portugal. Ele surgiu para oferecer apoio à Venezuela, após uma grave crise política nesse país, em que setores contrários à permanência de Chávez no poder se manifestavam.

Lula avaliou que o FSP e o GAV foram importantes para a vitória de Chávez no referendo revogatório realizado em 15 de agosto de 2004 e que decidiu pela permanência do governante venezuelano no comando do país.

Lula falou sobre o GAV durante entrevista coletiva em 29 de abril de 2005: "Nós convencemos o presidente Chávez que era importante que tivesse interlocutores que falassem com a sua oposição. O Grupo de Amigos funcionou e o Grupo de Amigos consolidou o referendo que foi acompanhado por muita gente de outros países, inclusive pela Fundação Jimmy Carter, que teve um papel muito importante na consolidação do referendo".


Página Externa

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit