Sam Altman retorna ao comando da OpenAI menos de uma semana após demissão

Fonte: Wikinotícias
Altman em 2019

23 de novembro de 2023

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

 

A OpenAI, empresa que criou um dos mais famosos aplicativos de inteligência artificial, o ChatGPT, viveu recentemente dias intensos de caos após a demissão de seu CEO, Sam Altman, o que causou até ameaças de demissões em massa de seus funcionários

Tudo começou na última sexta-feira, quando o conselho de administração da OpenAI demitiu seu cofundador e CEO, Sam Altman, depois que uma análise descobriu que ele “não era consistentemente sincero em suas comunicações” com o conselho.

A empresa informou na época que o conselho não estava mais “confiante” em sua capacidade de “continuar liderando o OpenAI”.

Mira Murati, diretora de tecnologia da OpenAI, assumiria o cargo de CEO interina com efeito imediato, disse a empresa, enquanto se procurava um substituto permanente.

Altman postou na rede social X, antigo Twitter, na sexta-feira: “Adorei meu tempo na OpenAI. Foi transformador para mim pessoalmente e, espero, um pouco para o mundo. Acima de tudo, adorei trabalhar com pessoas tão talentosas. Terei mais a dizer mais tarde sobre o que vem a seguir.”

A Microsoft, que investiu bilhões de dólares em OpenAI e tem direitos sobre sua tecnologia existente, agiu rapidamente para contratar Altman na segunda-feira, bem como outro cofundador e ex-presidente, Greg Brockman, que renunciou em protesto contra a destituição de Altman.

Mas então veio algo que nem mesmo a inteligência artificial poderia prever, muito menos controlar: uma ameaça de êxodo de quase todos os 770 funcionários da empresa, que assinaram uma carta pedindo a renúncia do conselho e o retorno de Altman.

Os funcionários também alertaram que seguiriam “iminentemente” Altman para a Microsoft, a menos que o conselho renunciasse e reintegrasse Altman e Greg Brockman.

Depois de três dias tempestuosos para a empresa, um dos quatro membros do conselho envolvidos na demissão de Altman, cofundador e cientista-chefe da OpenAI, Ilya Sutskever, manifestou seu pesar e aderiu à campanha.

Sutskever pediu desculpas, postando no X: “Lamento profundamente meu envolvimento nas ações do conselho.. Nunca tive a intenção de prejudicar a OpenAI. Adoro tudo o que construímos juntos e farei tudo o que puder para manter a empresa unida”.

Por fim, o CEO deposto da OpenAI voltou para a empresa que o demitiu no final da semana passada.

“Chegamos a um acordo preliminar com Sam Altman para retornar à OpenAI como CEO com um novo conselho inicial”, disse a OpenAI, com sede em São Francisco, em comunicado.

O conselho, que substitui aquele que demitiu Altman na sexta-feira, será liderado pelo ex-co-CEO Bret Taylor, que também presidiu o conselho do Twitter antes deste ser adquirido por Elon Musk no ano passado. Os outros membros serão o ex-secretário do Tesouro dos EUA, Larry Summers, e o CEO do Quora, Adam D'Angelo.

Altman, 38 anos, é visto como um prodígio do Vale do Silício desde os 20 anos. Ele ajudou a iniciar o OpenAI como um laboratório de pesquisa sem fins lucrativos em 2015.

Fontes[editar | editar código-fonte]