São Petersburgo registra recorde de mortalidade em 10 anos

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

11 de julho de 2020

Em junho, 7106 pessoas morreram em São Petersburgo, um recorde em 10 anos. Durante esse período, apenas em três vezes mais de seis mil pessoas morreram por mês — em janeiro de 2016 e 2017, e também em março de 2018.

A principal causa é a pandemia de COVID-19, disse o serviço de imprensa do governo. “Conforme explicado pelo Comitê de Saúde, o pico da epidemia, que ocorreu em São Petersburgo na última semana de maio e primeira de junho, foi a razão do aumento das taxas de mortalidade”, afirmou o relatório.

“Em números absolutos, no primeiro semestre de 2020, 3.915 pessoas morreram há mais do que no mesmo período em 2019. 90% delas tinham COVID-19, confirmado ou estabelecido com base no quadro clínico. Ao mesmo tempo, a COVID-19 foi detectada em 2419 pessoas”, afirma o relatório.

Desde o início de junho, São Petersburgo começou a suspender as restrições impostas devido à pandemia. Moradores da cidade foram autorizados a andar pelas ruas sem máscaras e luvas, e lojas foram abertas. A incidência de coronavírus havia reduzido antes da Parada da Vitória e da votação de emendas constitucionais, mas voltou a subir novamente.

Na Rússia, foram confirmados mais de 712 mil casos, 11 mil pessoas morreram e mais de 488 mil recuperados.

Fontes

Compartilhe
essa notícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Reddit.com