Ronaldo Fenômeno envolve-se em confusão com travestis

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ronaldo.

1 de maio de 2008

Brasil

O jogador de futebol conhecido Ronaldo Fenômeno envolveu-se no Rio de janeiro numa confusão com três travestis durante a madrugada da última segunda-feira (28. O caso foi parar no 16ª DP da Barra da Tijuca onde o jogador contou ao delegado que foi vítima de um engano e de extorsão.

Segundo a versão de Ronaldo, ele foi na noite do domingo à boate 021 comemorar a vitória do Flamengo sobre o Botafogo. Depois que saiu da boate, Ronaldo disse que encontrou-se com o travesti André Luis Albertini (Andrea Albertini), pensando que fosse mulher, para uma noite de sexo no motel Papillon, na Barra da Tijuca. Depois que chegaram ao motel, o travesti chamou outros dois travestis e foi quando Ronaldo teria percebido que os três não eram mulheres. Mesmo assim, Ronaldo disse que resolveu pagar mil reais para cada um pelo encontro. Dois dos travestis teriam aceito o acordo, mas um deles, Andrea, teria exigido que o jogador pagasse R$50 mil para que ela mantivesse sigilo. Foi aí que começou a confusão e Ronaldo resolveu ir à delegacia. O jogador alega ainda que os travestis ofereceram-lhe drogas, e que ele não aceitou.

O travesti Andrea Albertini por sua vez disse que Ronaldo contratou os seus serviços e de suas amigas mesmo sabendo que eram travestis. Andrea disse que no motel, depois de Ronaldo ter feito sexo com suas duas amigas travestis (enfatizando que ele foi "ativo e masculino") teria dado dinheiro para elas irem comprar drogas. Elas teriam então fugido com o dinheiro. Segundo Andrea, Ronaldo então teria resolvido ir embora sem pagar.

O travesti Andrea Albertini alega que com o telefone celular fez um vídeo de Ronaldo na saída do motel. Andrea publicou esse vídeo no Youtube. No vídeo aparece uma pessoa que seria Ronaldo saindo do motel e a voz da travesti dizendo: "é pra provar que é você". Além de ter produzido o vídeo, Andrea também ficou com o documento do carro do jogador.

O delegado da 16ª Delegacia de Polícia encarregado do caso, Carlos Augusto Nogueira Pinto, disse que a versão da história de Ronaldo é a mais confiável: "O seu estado era normal, eu nem pedi exame. Ele me pareceu bastante sincero e uma pessoa procurar fazer sexo não é crime. Pode ser considerado até imoral, mas não é considerado crime". O delegado criticou ainda o travesti Andrea Albertini por ter saído da delegacia durante o depoimento.

O caso ganhou repercussão mundial e foi noticiado por várias agências de notícia ao redor do mundo.

A Nike pode romper o contrato com o jogador visto que existe uma cláusula que diz que o contrato pode ser rompido se uma das partes envolver-se em escândalos.

A namorada do jogador, Bia Antony, largou o jogador depois que soube da notícia.

Segundo as últimas notícias Ronaldo teria ido para a casa da mãe.


Fontes