Riquelme sai da Seleção Argentina por divergências com Maradona

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Riquelme: "A Seleção acabou para mim"

Buenos Aires, Argentina • 11 de março de 2009

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O meio campista Juan Román Riquelme anunciou esta noite que não vai jogar para a Seleção Argentina de Futebol. O jogador do Boca Juniors afirmou que o treinador Diego Maradona, que o havia criticado, não têm os mesmos códigos éticos. Minutos antes, Maradona disse que "se sair, não volta".

"Maradona e eu não teremos os mesmos códigos e a Seleção acabou para mim. Eu não sou uma criança e já estou um pouco cansado dessas coisas. Foi tudo muito estranho este ano para Mim", disse Riquelme em uma entrevista ao programa argentino Telenoche.

"Eu entendi que não viajava para a França escutando Bilardo pelo rádio, hoje escutei que estão dizendo que eu não quero atender o técnico. Tenho uma maneira de ser muito claro, muito transparente. Tenho ética e não é a mesma que tem o técnico.", afirmou.

"Vai me doer muito ver o [Copa] Mundial [do ano que vem] pela TV, mas hoje como o DT (treinador) e eu não pensamos igual, não nos tratamos igual. Aqui termina a minha etapa na Seleção, me dói na alma estar fazendo isto, é uma situação muito rara porque as coisas não estão claras", expressou o futebolista de 30 anos.

Por outro lado, o treinador (no Brasil), seleccionador (em Portugal), argentino havia mencionado em um canal a cabo que Riquelme só é útil se estiver bem fisicamente. "[Ele] Não me acostumava que se atrase e jogue a bola aos pés de (Martín) Demichelis (...). Eu necessito sair com homens acima [de mim]". As últimas atuações do jogador em Boca foram criticadas pela imprensa e pelos fãs.

Pouco antes da declaração de saída, Maradona deixou em claro sua opinião em um programa de rádio. "Um jogador que sai da minha seleção não volta mais", afirmou. Quando foi perguntado sobre a (então eventual) possível saída de Román, contestou: "Nunca se passou pela [minha] cabeça. Eu falei com o cunhado [que] estava lesionado em Tandil e queria que jogasse. Não sei o que ele pensará agora".

Esta é a segunda saída da equipe (no Brasil), equipa (em Portugal) nacional de Riquelme. A primeira vez foi depois da Copa do Mundo da Alemanha de 2006, a pedido da própria mãe, que sofreu pelas críticas. No entanto, voltou no ano seguinte, após obter a Copa Libertadores com a equipe/equipa xeneize.

Fontes