Rio de Janeiro quer vacinar 4,1 milhões de pessoas contra a Gripe A H1N1

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Notícias relacionadas
Pessoas na Cidade do México vestindo máscaras em um trêm pelo vírus H1N1
Mais informações sobre a Gripe:


Agência Brasil

30 de abril de 2016

Com o início antecipado na última segunda-feira (25), para gestantes e crianças entre seis meses e 5 anos, além de pacientes renais crônicos, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe teve neste sábado (30), no Estado do Rio de Janeiro, seu dia D de mobilização, como acontece em todo o país. O público-alvo da campanha é de 4,1 milhões de pessoas, número que abrange além de crianças de seis meses a 5 anos, pessoas com 60 anos ou mais, profissionais da saúde, gestantes e mulheres até 45 dias após o parto, doentes crônicos, presos e funcionários do sistema prisional e povos indígenas.

O aumento dos casos da gripe H1N1 no sul do país e em São Paulo motivou a Secretaria Estadual de Saúde do Rio a antecipar o início da vacinação.

Em todo o estado, cerca de 3 mil postos de saúde, nos 92 municípios, disponibilizam a vacina. No município do Rio, são cerca de 450 postos, entre fixos e itinerantes, que funcionaram das 8h às 17h.

No Centro de Saúde Municipal Salles Neto, no bairro do Rio Comprido, zona norte do Rio, o movimento foi grande pela manhã e à tarde, principalmente de pessoas fora dos grupos prioritários atendidos no decorrer da semana. Grávida, a contadora Raquel de Oliveira Santana admitiu que o temor do vírus H1N1 foi o que mais a motivou a comparecer ao posto de vacinação.

“A gente não sabe até onde vai essa situação. Vale a pena enfrentar essa fila, porque durante a semana eu não tenho tempo, trabalho de sete da manhã às cinco da tarde”, disse.

Integrante do grupo das pessoas com mais de 60 anos, a costureira aposentada Maria do Carmo sempre tomou a vacina e não tem dúvida de sua eficácia. “Eu tenho até carteirinha. Estava no Maranhão e fiz lá a carteira. Nunca tive problema com a vacina. Graças a Deus me sinto muito bem”, disse.

Já Regina Célia Vieira da Silva sofre de hipertensão arterial e faz parte do grupo dos doentes crônicos. ”Sempre que tem campanha eu me vacino. Pra mim sempre funcionou”, disse.

Na capital fluminense, a Secretaria Municipal de Saúde também montou postos itinerantes em diversos locais da cidade, como escolas, igrejas, associações de moradores e outros espaços, para facilitar o acesso da população. Passado o dia D, a vacina contra a gripe estará disponível nas mais de 200 unidades de atenção primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) e policlínicas da cidade, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Fonte

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati