Renan chama Jereissati de "coronel" e é rotulado de "cangaceiro"

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O líder do PMDB, Renan Calheiros, e o senador Tasso Jereissati trocam acusações em plenário, após a leitura da representação do PMDB contra o líder do PSDB, Arthur Virgílio. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Agência Brasil

7 de agosto de 2009

O portal eletrônico do Senado Federal publicou na íntegra as notas taquigráficas do bate-boca ocorrido na tarde de ontem (6) entre o líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), e o tucano Tasso Jereissati (PSDB-CE). A discussão quase acabou em confronto físico e obrigou o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), a suspender a sessão.

A discussão se deu após o senador tucano pedir a Sarney que concedesse ao líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), o mesmo tempo usado por Calheiros para leitura da representação do PMDB contra o tucano.

Jereissati também pediu a Sarney que retirasse uma pessoa das galerias do plenário porque ela estaria se manifestando, algo proibido pelo regimento da Casa: “Eu pediria, senhor presidente, duas coisas. Primeiro, que fosse dado ao senador Arthur Virgílio o mesmo tempo que foi dado ao senador Renan, em razão das colocações graves, agressivas colocações que foram feitas. Outra coisa, existem manifestações aqui nessa tribuna de honra. Pediria que retirassem esse senhor aqui que está fazendo constantes manifestações, porque não está de acordo com o Regimento.”

Renan se manifestou. “É a respeito da manifestação do senador Tasso Jereissati. Essas crises acontecem por isso: é a minoria com complexo de maioria. Quer expulsar agora um cidadão que está aqui participando da sessão, que é uma sessão, infelizmente, histórica do Senado”, ironizou o peemedebista, de acordo com as notas taquigráficas.

Em seguida, Renan chama Jereissati de “coronel de nada”, o que deu início ao bate-boca. “Você é um coronel de nada”, diz o peemedebista, apontando o dedo para Jereissati. “Senador Renan, não aponte esse dedo sujo para cima de mim! Estou cansado das suas ameaças!”, retrucou o tucano.

“O dedo sujo, infelizmente, é o de Vossa Excelência. São os dedos dos jatinhos que o Senado pagou!”, acusou Renan. Jereissati retrucou: “Pelo menos, era com o meu dinheiro. O jato é meu. Não é o que o senhor anda, o de seus empreiteiros. É meu! É meu! É meu e eu tenho para falar!”

Renan continua a discussão: “Coronel de nada! Você é um coronel de nada!” Jereissati rebate: “Eu coronel? Cangaceiro! Cangaceiro de terceira categoria!”. O peemedebista continuou xingando o tucano.

Indignado, Jereissati acusou Calheiros de quebra de decoro. Renan, por sua vez, pediu a Sarney que retirasse parte do que disse, mas não o xingamento a Jereissati. “Você é minoria com complexo de maioria! Me respeite!”. Por fim, o tucano afirmou: “Sabe de uma coisa? Eu não respeito. Zero!

Após a sessão ser suspensa por alguns minutos para acalmar os ânimos, Virgílio subiu à tribuna da Casa para se defender das acusações por quebra de decoro parlamentar.

Fontes


Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati