Relatório diz que autoridade das Nações Unidas recebeu 150 mil dólares de suborno

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Flag of the United Nations.png

10 de agosto de 2005

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O comitê de investigação indicado pelas Nações Unidas (ONU) para o escândalo Petróleo-por-comida liberou o seu terceiro relatório.

O relatório diz que Benon Sevan recebeu cerca de 150 mil dólares em dinheiro como suborno (propina). O chefe do gabinete de Kofi Annan, Mark Malloch Brown disse que as Nações Unidas podem retirar a imunidade de Sevan caso alguma autoridade faça o pedido. Ele disse também que as Nações Unidas estão em ativa colaboração com as autoridades do Distrito do Sul de Nova Iorque.

Numa conferência para a imprensa, Malloch Brown disse que há uma "real necessidade de uma séria, profunda reforma da organização" e que isto ainda não foi totalmente aceito completamente por todos os países membros.

Benon Sevan trabalhou para as Nações Unidas durante cerca de 40 anos, antes de sair do cargo domingo, ao mesmo tempo em que negou as denúncias contra ele. Na sua carta de demissão para Koffi Anan, ele escreveu: As acusações são falsas e o senhor, que me conhece durante todos esses anos, deve saber que são falsas...Eu compreendo a pressão que o senhor está enfrentando..., mas o meu sacrifício para a conveniência política nunca apaziguará os nossos críticos ou ajudará o senhor, ou a organização.

Além de Sevan, Alexander Yakovlev , uma ex-autoridade de aquisição das Nações Unidas, declarou-se culpado e confirmou ter aceitado de centenas de milhares de dólares em subornos de contratantes da ONU.

Ver também

Fontes