Relatório conclui que secretário-geral das Nações Unidas falhou com programa

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Kofi Annan, secretário-geral das Nações Unidas (Ricardo Stuckert/ABr).

10 de setembro de 2005

Depois de um ano de investigação, a Comissão de Investigação Independente das Nações Unidas concluiu que Kofi Annan, o dirigente das Nações Unidas, não conseguiu parar a corrupção no Programa Petróleo-por-alimentos, criado para fornecer comida a cidadãos iraquianos empobrecidos. Apesar de considerar que o programa conseguiu atingir os seus objetivos mínimos de ajuda aos iraquianos, a Comissão encontrou falhas e indícios graves de corrupção.

Segundo Paul Volcker, o chefe da Comissão: "A nossa nomeação foi feita para procurar má ou incompetente administração no Programa Petróleo-por-alimentos e evidências de corrupção dentro da organização das Nações Unidas e nos contratantes. Infelizmente, encontramos as duas coisas."

O relatório enfatizou que Kofi Annan mesmo sabendo permitiu que Saddam Hussein continuasse a obter de forma anti-ética enormes lucros com o programa.

Embora Annan tenha responsabilizado outras pessoas pela má condução do programa, ele também admitiu a própria culpa: "o relatório é crítico de mim pessoalmente, e aceito a sua crítica." O secretário-geral também disse: "Nenhum de nós: os estados membros, o secretariado, as agências, os fundos e os programas, podem estar orgulhosos do que foi encontrado."


Ver também

Fontes