Rei de Espanha manda Chávez calar a boca em encontro

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Juan Carlos da Espanha, Rei de Espanha.

13 de novembro de 2007

Rei de Espanha, Juan Carlos I, manda Hugo Chavez calar a boca em encontro da 17 a Cúpula Ibero-americana, em Santiago do Chile. Apesar do clima entre os dois países Madri não pretende romper com Caracas.[1]

O rei da Espanha, Juan Carlos I, abandonou no sábado a Cúpula Ibero-Americana no Chile, em protesto contra os ataques ao ex-premiê espanhol José María Aznar, a seu país e as supostas ações de seu comércio exterior, feitas por Hugo Chávez.

A última intervenção de Chávez provocou a reação do rei. José Luis Rodríguez Zapatero, primeiro-ministro espanhol, havia reprovado as afirmações de Chávez sobre Aznar. Chávez, então, respondeu ao premiê espanhol afirmando que tinha o direito de opinar. Nesse momento, Juan Carlos I dirigiu-se a Chávez visivelmente alterado: "Por que você não se cala", disse.

O presidente da Venezuela respondeu logo depois do fim da Cúpula, que o monarca não poderia ter tal comportamento.

"Exijo respeito, porque eu também sou um chefe de Estado e eleito democraticamente", ressaltou Chávez. "Ele (o rei) é tão chefe de Estado quanto eu, com a diferença de que fui eleito três vezes", disse durante um ato acadêmico em uma universidade particular chilena.

Na Wikipédia há um artigo sobre ¿Por qué no te callas?.

Fontes

Referências

  1. http://txt.estado.com.br/editorias/2007/11/13/int-1.93.9.20071113.1.1.xml