Rebeldes da Síria realizam o primeiro ataque pelo mar

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Agência Brasil

28 de abril de 2012

Síria — Os opositores sírios, que há mais de um ano protestam pacificamente pela saída do líder Bashar al-Assad do poder para depois de confrontos, atentados terroristas e até massacres, fizeram hoje a primeira ofensiva pelo mar, deixando feridos entre suas próprias tropas e as forças do regime. Horas depois, foi anunciado pelo governo do Líbano, que a Marinha do país interceptou navio que carregava armamento, que vinha da Líbia.

Ataque

O ataque foi realizado pelos rebeldes armados a bordo de botes, próximo à cidade de Latakia, na costa da Síria no Mar Mediterrâneo, à 30 km com a Turquia.

Segundo a agência de imprensa estatal síria SANA, o governo classificou o ataque como "atentado terrorista", que deixou feridos dos dois lados, mas não houve relatos de mortes. A mesma agência disse que os militares sírios desmantelaram a ofensiva pelo mar.

Apreenção no Líbano

No mesmo dia do atauqe pelo mar, a Marinha do Líbano informou ter interceptado um navio, chamado de Lutfallah II, que levava armamentos destinados à rebeldes na Síria.

O navio foi parado no porto Trípoli, ao norte do Líbano, onde a Marinha confiscou três contêineres cheios de armas e munições.

Segundo os primeiros relatos, o navio partiu da Líbia (no entanto, não foi divulgado a cidade líbia de partida), que em seguida fez escala no porto de Alexandria (no Egito), atracou no porto de Trípoli, no norte do Líbano, onde foi interceptado. Também não foi divulgado se a tripulação do navio foi presa.

Ironicamente, a cidade libanesa de Trípoli tem o mesmo nome da capital líbia. A diferença é que a cidade libanesa é um dos pontos logísticos dos rebeldes sírios.

Segundo denúncias das autoridades do governo de Assad, a cidade tem servido como porta de entrada para o contrabando de armamentos, de apoio aos opositores e rebeldes na Síria, que sai para fronteira sírio-libanês.

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via Google+ Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati