Rússia abre parcialmente fronteiras

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.

8 de junho de 2020

Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram

O Governo da Rússia permitiu que os russos deixassem o país para cuidar de parentes doentes, trabalhar e estudar. Isso foi anunciado pelo primeiro-ministro Mikhail Mishustin na segunda-feira (8). A entrada no país também foi permitida, disse o primeiro-ministro:

"Foi assinado um decreto do governo, que permite que cidadãos russos deixem o país para cuidar de parentes doentes que moram em outros Estados, bem como para aqueles que vão trabalhar ou estudar. A saída também é permitida para os russos que precisam receber atendimento médico no exterior. [...] Cidadãos estrangeiros que vão se submeter a tratamento em organizações médicas russas, bem como aqueles que têm parentes poderão entrar na Rússia".

A data que essas normas entrarão em vigor ainda não foi anunciada. Hoje, Mishustin instruiu a Agência Federal de Transporte Aéreo a analisar possíveis opções para retomar voos internacionais.

Desde 27 de março, a Rússia interrompeu voos regulares e charter com todos os países do mundo, como combate à pandemia de COVID-19. A exceção foram os voos de retomada dos cidadãos russos que vivam no exterior.

Desde 30 de abril, por ordem do governo, os cidadãos russos que também têm cidadania de outro Estado ou autorização de residir no exterior conseguiram deixar a Federação Russa.

A cláusula 2 do artigo 27 da Constituição da Federação Russa diz: “Todos são livres para viajar para fora da Federação Russa. Um cidadão da Federação Russa tem o direito de retornar livremente à Federação Russa”.

Fontes

Reportagem original
Esta notícia contém reportagem original de um Wikicolaborador.
Compartilhe
essa notícia:
Email Facebook Twitter WhatsApp Telegram LinkedIn Reddit