Publicado decreto que regulamenta a Lei de Acesso à Informação no Brasil

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

18 de maio de 2012

Brasil — No dia 17 de maio foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) o decreto que regulamenta a Lei de Acesso à Informação, que por sua vez garante o acesso do cidadão às informações públicas. A lei surge como ferramenta de cidadania para o combate à corrupção.

Terão de cumprir as determinações desse decreto, os órgãos da administração direta, as autarquias, as fundações públicas, as empresas públicas, as sociedades de economia mista e as demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União.

Entre essas determinações estão a transparência ativa e a transparência passiva. A transparência ativa se refere a publicação de informações aos cidadãos através dos sites dos órgão públicos, entre elas informações financeiras e organizacionais. A transparência passiva se refere a criação de uma estrutura, Serviço de Informação ao Cidadão (SIC), com o objetivo de receber e registrar pedidos de acesso a informação entre outras atribuições. Tais pedidos terão prazo de resposta de 20 dias contados a partir da apresentação do pedido ao SIC, prorrogaveis por no máximo 10 dias.

Estão previstos também os procedimentos de classificação das informações entre ultrassecretas, com duração de 25 anos; secretas, 15 anos; e reservadas, 5 anos. Contudo, o sigilo das informações tem caráter excepcional conforme consta na cartilha "Acesso à Informação Pública" criada pela Controladoria-Geral da União (CGU) para divulgação:

"[O direito ao acesso à informação é um] Direito inscrito na Constituição brasileira e agora regulamentado pela Lei Federal 12.527, sancionada em 18 de novembro de 2011 pela Presidenta da República. Ao estabelecer este marco regulatório, o Brasil dá um importante passo em sua trajetória de transparência pública. Além de ampliar os mecanismos de obtenção de informações e documentos (já previstos em diferentes legislações e políticas governamentais), estabelece o princípio de que o acesso é a regra e o sigilo a exceção, cabendo à Administração Pública atender às demandas de cidadãos e cidadãs." [Introdução, pg 7]

Em caso de descumprimento da lei, estão previstas punições aos agentes públicos e entidades privadas que mantenham vínculo com o poder público. Ao agente público, punição por suspenção ou improbidade administrativa; e à entidade privada, advertência, multa ou rescisão do convênio, com a possibilidade de ser proibida de fazer novos contratos com o poder público.

Em decorrência do decreto, órgãos e governos estão tomando as medidas para regulamentar e cumprir as lei em suas instâncias. Apesar de bem-vinda a lei pode encontrar barreiras de ordem de execução diante das burocracias e procedimentos administrativos.

Mais informações podem ser obtidas no site de divulgação da lei criado pela CGU:

Acesso a informação - www.acessoainformacao.gov.br

Fontes

Compartilhe essa notícia: Shared via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram Compartilhe via LinkedIn Compartilhe via Digg.com Compartilhe via Newsvine Compartilhe via Reddit.com Share on stumbleupon.com Compartilhe via Technorati