Presidente do Brasil faz viagem pela África

Origem: Wikinotícias, a fonte de notícias livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
LocationAfrica.png

15 de abril de 2005

Brasil

O Presidente da República Federativa do Brasil, senhor Luiz Inácio Lula da Silva está a visitar países do continente africano.

A comitiva do presidente brasileiro é formada pelos seguintes ministros: Humberto Costa, da Saúde; Gilberto Gil, da Cultura; Fernando Haddad, da Educação(interino); Luiz Fernando Furlan, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Também fazem parte da comitiva: Matilde Ribeiro, da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e o diretor-presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Sílvio Crestana.

O Brasil procura criar acordos comerciais com os países da África e aproximar politicamente e economicamente o continente africano da América do Sul. O Brasil também busca apoio de outros países para a sua candidatura ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Segunda-feira, dia 11 de abril, o presidente Lula esteve em Camarões e encontrou-se com o Presidente do país, senhor Paul Biya às 10 horas (horário local). O presidente de Camarões, Paul Biya, deu a entender que vai apoiar a candidatura do Brasil para o Conselho de Segurança.

No mesmo dia, o presidente brasileiro partiu para Abuja, na Nigéria e encontrou-se com o presidente daquele país, o senhor Olosegum Obasanjo. O Brasil e a Nigéria assinaram acordos de intenções na área de agricultura. Pelo acordo haverá cooperação técnica entre os dois países na produção de processamento de trigo, arroz, mandioca, frutas tropicais, hortaliças e no manejo sustentável do solo. O presidente da Nigéria também pediu ao presidente brasileiro apoio para criar uma Cúpula América do Sul-África.

Terça-feira, 12 de abril, o presidente Lula viajou para Acra, em Gana, onde encontrou-se com o presidente John Agyekum Kufuor. Gana é o quarto importador de produtos brasileiros na África subsaariana, atrás de África do Sul, Nigéria e Angola, desde 2003. Foram assinados acordos bilaterais para estabelecimento de linhas aéreas entre Brasil e Gana e sobre consultas políticas.

O presidente do Brasil foi homenageado na Embaixada do Brasil em Gana pela comunidade Tabom, a qual reúne famílias de descendentes de escravos brasileiro-ganenses que voltaram para a África. À noite, às 20h45, no horário local, o presidente brasileiro participou de um jantar em companhia do presidente de Gana, no Centro Internacional de Conferências.

Quarta-feira, 13 de abril, às 10h30, o presidente do Brasil viajou para Guiné-Bissau. Ele chegou ao Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira, em Guiné-Bissau por volta das 13h10. Às 13h45 o presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma reunião com o presidente da República de Guiné-Bissau, Henrique Rosa.

Presidente do Senegal e do Brasil acenam em frente a Casa dos Escravos, na Ilha de Gorée. Foto: Ricardo Stuckert/PR.

Às 17h de 13 de abril, o presidente do Brasil partiu para Dacar, no Senegal, a última etapa da viagem à África. Às 17h40, no horário local, o presidente Lula chegou ao Aeroporto Internacional Leopold Sedar Senghor, no Senegal. Às 18h45 ele teve um encontro oficial com o presidente do Senegal, o senhor Abdoulaye Wade no Palácio da República. Às 20h30 os presidentes brasileiro e do Senegal participaram de um jantar oferecido no Palácio da República.

Segundo informações da Agência Brasil, o intercâmbio econômico-comercial entre Senegal e Brasil aumentou em aproximadamente 150% entre os anos de 2002 a 2004, e atingiu US$ 75,52 milhões no ano passado, com superávit brasileiro de US$ 72,91 milhões. O Brasil ajudou no combate a uma praga de gafanhotos, com a doação de uma aeronave pulverizadora, e no treinamento de profissionais senegaleses, além da assinatura de Protocolo de Intenções sobre Cooperação Técnica no Domínio do Controle Biológico dos Gafanhotos, firmado em janeiro durante visita do ministro Celso Amorim a Dacar. O Brasil também negociou o reescalonamento e perdão de 60% da dívida senegalesa no valor de US$ 5 milhões.

Quinta-feira, 14 de abril, o presidente brasileiro depositou flores no Memorial do Tiraileur, em homenagem aos soldados senegaleses mortos na Primeira e Segunda guerras mundiais. Em seguida, acompanhado por membros de sua comitiva e do presidente do Senegal, Abdoulaye Wade, Lula visitou a Ilha de Gorée para conhecer as instalações da Casa dos Escravos e assistir à apresentação de grupos culturais.

Gorée era uma base de onde os escravos eram despachados para outros países, nos séculos XVII e XVIII. Atualmente vivem cerca de 1.200 pessoas na ilha e há um museu sobre a escravidão, conhecido como "escravaria". No museu existem os registros de que homens com mais de 60 quilos e mulheres virgens eram trocados por um barril de rum, e que crianças eram vendidas em troca de espelhos.

Na Ilha de Gorée, durante excursão pela Casa dos Escravos, o presidente do Brasil e membros de sua comitiva se emocionaram. O ministro da Cultura, Gilberto Gil fez um discurso emocionado em francês. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, também emocionado, fez um discurso em que pediu perdão aos africanos pela escravidão ocorrida no Brasil:"Não tenho nenhuma responsabilidade pelo que aconteceu nos séculos 16, 17 e 18. Mas penso que é uma boa política dizer ao povo do Senegal e da África: perdão pelo que fizemos." O presidente do Senegal, Abdoulaye Wade elogiu o presidente brasileiro e disse:"Considere-se um africano".

Em Gorée, o ministro da Cultura, Gilberto Gil, que também é cantor, interpretou a música La Lune de Gorée, composta pelo poeta José Carlos Capinam.

Às 16h de quinta-feira, 14 de abril, o presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva e sua comitiva partiram do Aeroporto Internacional Leopold Sedar Senghor, no Senegal, para retornar ao Brasil, e assim encerrar a viagem à África. Às 19h o avião presidencial chegou ao Brasil, na Base Aérea de Brasília.

Fontes